JellyPages.com

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Seminua A Escrever - Magda Almodóvar


Banhei meu corpo tentando me recompor
Queria que a água me trouxesse a razão
Preciso cumprir a rotina do dia
Mas meu corpo e alma
ainda estão em sintonia com você
Nossa noite de amor tão linda
Carícias que a lua presenciou
Pois furtiva entrou pela janela
Em delírios de amor
Nos observou
Suas mãos bailando em meu corpo
Minhas unhas riscando desejo
Bocas fundidas em beijos
Línguas penetrantes
Palavras soltas cheias de ardor
Você sempre me surpreende
Faz-me cada dia diferente
Sempre pedinte
Sempre carente
Sempre amante
Sua mulher
Esta noite mais me penetrou
Chegou quieto
Fingindo distância
Sentou-se num canto
Mudo ficou
Mais e mais me excitou
Imaginei que em outra pensava
Quem sabe não mais me amava
Que queria tudo terminar
Perdi o rumo
Fui tomada pelo medo
Não quero de você me separar
Nada era verdade
Puro jogo de sedução
O silêncio é mistério
Aflige o coração
E você
Lúdico, matreiro
Me encanta com a sedução
Me sentindo ameaçada
Virei gata
Puta
Menina
Biruta
Todo arsenal de provocação usei
Você com olhar sorridente
Parecendo indiferente
Se deliciou
Com minha dança
Meus afagos
Meus convites
Meu despir lento
Meu oferecimento
E quando o falso controle desapareceu
Me pegou no colo
Meu corpo todo lambeu
Me cavalgou toda noite
Me enlouqueceu
Manhã chegou
Você se foi
Na cama fiquei a lembrar
Sorriso de orgasmo
No meu rosto a enfeitar
É... no banho tentei acordar
Mas, como não foi suficiente
Quis em verso tudo registrar
E eis-me aqui seminua
Colocando no papel
Nosso amor enluarado
Sempre Lua de Mel

Ausente Presença - Magda Almodóvar


Já tive seu beijo
Seu gosto
Seu gozo
Seu calor
Já tive seu abraço
Seu colo
Sua voz
Seu toque
Seu ardor
Já tive seu riso
Seu gemido
Seu olhar
Noites de fazer amor
Hoje tenho de você
A certeza do seu muito
Intenso
Assustado amor
Estou presente cada segundo
Aquecendo e fazendo doer seu interior
Você pensou que foi embora
Qual o que
Só fisicamente se distanciou
Sua boca disse adeus
Só seu corpo de mim se afastou

Amores E Gozos - Rosi Beltrão


Deixe nossas roupas jogadas
fazendo lembrar nossas batalhas.
São provas das muitas noites de prazer.
Vamos construir juntos qualquer coisa,
quem sabe até um novo destino...
Quero novos caminhos,
outras estradas,
mas quero que seja único,
tudo em nosso amor quase puro e profano.
Onde nos levarão os passos desse caminhar?
te levará ao meu ventre,
a aninhar em meu colo,
a tocar meu sexo,
a sentir meu gozo em sua boca,
e a colocar seu líquido de amor
em minhas noites,

seu corpo tem sabor de vida,
sabor de amor maluco...
É coisa de amantes como nós,
amantes de amor noturno.
Entre nós há um infinito mar de ilusões e gozos,
de dor e desejos, de quereres e afazeres...
mas há prazer de estar dentro um do outro,
desaparecidos de amor,
assumidos de paixão...
Sou uma sonhadora de fantasias
com cheiros
e perfumes tudo regado a paixão quente,
o amor desavergonhado,
e o que virá pela madruga adentro...
quem dirá?
Deixe que fiquem as marcas
de nossa batalha.
Nossos corpos embrulhados nos lençóis,
são lutas infindáveis de prazer,
paredes e veias,
suores exalam com cheiro de sexo,
em nossos corpos de todas as noites
e de todos os nossos dias nos fazendo um.
Somos eternos carentes de paixão, 
insaciáveis amantes como se nunca
houvera antes tido amor.
Que vibrem sua vida, sua sina,
sua lida, vibre tudo,
pois você se aposso de mim como ninho
e como tempestade que me açoita.
Faço tudo para que receba
o que tem de melhor.
Feche os olhos...
veja-me com a alma
e com seu corpo cego de paixão.
Doutrine-me.
Sou uma menina.

Mostre-se como meu,
tome conta de meu corpo no seu,
esconda-me dentro de você
e gozemos juntos as delícias
dessa doce loucura de se entregar.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Nem Dama, Nem Vulgar... - Daniel Fiúza

Já me decidi...
Não me importa o que vestes

Nem o que ostentas.
Só quero ver teu decote

Teu fricote
Teu deboche

A me provocar.

Na sombra do teu corpo
Ver tua transparência

Tua aparência
Tua experiência

De seduzir.

Meu carinho por ti

É imenso

É imerso

É intenso

É tudo que posso sentir.

Sonho com a fenda do teu vestido

Um rasgo de sensualidade
Um trago de felicidade

Prova da tua feminilidade.

No meu olhar curioso
Desejoso

Esperançoso...

Cheio de malícia.

Vivo-te nos meus versos

Nas carícias táteis

Dispersas na tua pele

Em desejos incontidos

Nos sonhos adormecidos

Eróticos coloridos

Na magia do teu olhar.

Afetuoso te espero

Impetuoso me esmero

Na sensual promessa tua

De se expor em pêlo

Provocante e linda
Totalmente nua.

O Amor - Cecília Meireles


É difícil para os indecisos.
É assustador para os medrosos.
Avassalador para os apaixonados!
Mas, os vencedores no amor são os fortes.
Os que sabem o que querem e querem o que têm!
Sonhar um sonho a dois,
e nunca desistir da busca de ser feliz,
é para poucos!!

Chico Xavier

Vida
É o amor existencial.
Razão
É o amor que pondera.
Estudo
É o amor que analisa.
Ciência
É o amor que investiga.
Filosofia
É o amor que pensa.
Religião
É o amor que busca a Deus.
Verdade
É o amor que eterniza.
Ideal
É o amor que se eleva.

É o amor que transcende.
Esperança
É o amor que sonha.
Caridade
É o amor que auxilia.
Fraternidade
É o amor que se expande.
Sacrifício
É o amor que se esforça.
Renúncia
É o amor que depura.
Simpatia
É o amor que sorri.
Trabalho
É o amor que constrói.
Indiferença
É o amor que se esconde.
Desespero
É o amor que se desgoverna.
Paixão
É o amor que se desequilibra.
Ciúme
É o amor que se desvaira.
Orgulho
É o amor que enlouquece.
Sensualismo
É o amor que se envenena.
Finalmente, o ódio, 
que julgas ser a antítese do amor, 
não é senão o próprio amor 
que adoeceu gravemente.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

O Delírio Do Prazer - Magda Almodóvar


Nesta morna manhã outonal
Passeio com meu cãozinho
Num exercício matinal
A calma da sonolência
Convida à reflexão
E organizo meu dia
Respirando compassadamente
Meu corpo se aquece
Meus músculos despertam
Meu pensamento vagueia
Já sei tudo o que farei
Horários estabeleci
E você aparece na saudade
De um dia que não esqueci
Era da semana o começo
Fomos juntos almoçar
E enquanto você falava
Dizia desejo com o olhar
O abraço
O beijo
A entrega
Corpos a se tatear
Fizeram daquela segunda
Um domingo
Dia de vadiar
Ainda não sabíamos a química
Ainda não havíamos nos encaixado
Sentíamos que algo especial
Já havia começado
E foram tantos os beijos
Que a timidez da primeira vez
Foi embora da gente
Quando dos corpos a nudez
Seu pênis crescia
Minha vagina se inundava
Nossas mãos em carinhos
Os corpos a roçar
Prazer
Delírio
Gemidos
Cheiro de cio no ar
E foram tantas descobertas
Tanta dança de tesão
Que os gozos sucessivos
Eram a voz da paixão
Hoje é segunda
Mas em domingo com você será
E viveremos mais vadiagem
Deixando a vontade se expressar

Quero - Regina O.


Quero colar minha
boca na sua,
sentir o sabor
mais gostoso...
Sentir o calor
das suas mãos
por baixo da
minha blusa,
a minha pele quente,
querendo tocar
Quero a saliva
dos seus beijos,
e com minha língua,
poder explorar sua boca
Quero que deixe marcas
nos meus lábios,
deixando-os vermelhos,
de tanto os beijar
Quero um beijo demorado,
ao mesmo tempo,
suave, sensual,
e quase animal
Quero subir
pelas paredes,
me contorcer de prazer
Depois um abraço apertado,
nosso olhos se encontrando,
completamente hipnotizados
Ah! quero sim...
Quero você
penetrando em mim,
me excitando,
devorando,
em movimentos acelerados,
completamente
entregues um ao outro
Gritos de prazer...
Humm... que delícia
que deve ser
Me deitar em seus braços,
devorar seu espírito
e carne, como que
enfeitiçados
Depois,
delirantemente
esgotados, de tanto
amor misturado
a tanto tesão,
poder me deitar
junto a você,
ir me aquietando,
adormecendo
no seu ombro,
coração quase parando
Depois do descanso,
tudo recomeçar...