JellyPages.com

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Dependências - Nanamerij


Dependo sim!
De suas pernas entre as minhas
De suas mãos em meus seios
De encostar-me com jeito
De aquecer-me por inteira
Seja noite
Seja dia
Dependo de você...
Nesta cama tão fria
Dependo sim!
De seu cheiro no corpo
Derramado em mim,
Espalhado no quarto
Do cigarro tragado,
Do gosto...
Ah! do gosto
De minha languidez...
Depois do gozo
Dependo!
Confesso...
Minha toda saudade
Minha tanta agonia,
Vontades vazias
Já não sei dormir sozinha!
Volta Moço?
Sem você...
Vivo assim:
Sem tom,
Sem sabor,
Sem melodia
Sem você...
A vida perde toda a poesia

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Tesão - A.D.


Um sussurrar ao ouvido...
Lábios tocando a orelha...

Respiração revolvendo os cabelos...

Nuca arrepiada...

Braços envolvendo o corpo...

Boca beijando ombros desnudos...

Corpos que se tocam...
Lábios que se unem...

Línguas que se enlaçam...

Desejo...

Sedução...

Olhares que se cruzam...

Brilho de paixão...
Mãos que se tocam...

Dedos que se unem...

Se apertam...
se buscam...

Musica suave...

Suave perfume de mulher...

Você...

Eu...

Somente nós dois...

O depois?
Pouco importa!

Deus Grego - A.D.


Neste físico de um deus grego,
numa intensa relação,
eu, pálida e bêbada, tremo
e me afogo e me sufoco
entre loucura e paixão...
Quero fundir meu corpo
no teu corpo junto ao meu.
Nos teus braços serei cega
pra que sejas o meu guia.
Nós seremos a matéria,
nosso amor será a energia...
Se esse amor me modifica,
me transforma, me edifica,
se ele afeta tanto a mim,
também te transformará.
A energia desse amor
afetou-nos para sempre,
e a matéria que hoje somos
outra matéria será...

Seremos dois novos amantes
pelo amor energizados,
transformados,
mas em quê?
Quem eras antes de mim?
Quem sou depois de você?
No meu seio serás meu
para o uso que eu quiser.
Nos teus braços me abandono,
ao teu lado sou mulher...

Espanhola - A.D.


Na alcova
tens ares de furacão;

Tu és rainha
de todos os vendavais!

Vivo no teu gosto
de quero mais...

Ah!...
Interminável viagem no tesão!...
 

Orgulhoso!...
Exibo meu vergalhão,

Tuas carícias,
nele, são demais!

Gritamos
nos delírios desiguais;

Perco minhas gotas
na redenção!

Retribuo
o carinho no teu gozo!

Num milagre...
Estou pronto de novo;

Alegro-me
ao sentir teus grunhidos!...

Contemplo
as belas marcas no leito...

É a soma
do nosso amor perfeito!

É a razão
de todos os sentidos!...

Delírio - Olavo Bilac


Nua,
mas para o amor
não cabe o pejo
Na minha
a sua boca eu comprimia.
E, em frêmitos carnais,
ela dizia:
- Mais abaixo, meu bem,
quero o teu beijo!
Na inconsciência bruta
do meu desejo
Fremente,
a minha boca obedecia,
E os seus seios,
tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar
em doce arpejo
Em suspiros
de gozos infinitos
Disse-me ela,
ainda quase em grito:
- Mais abaixo, meu bem!
- num frenesi.
No seu ventre
pousei a minha boca,
- Mais abaixo, meu bem!
- disse ela, louca,
Moralistas,
perdoai!
Obedeci...

Noites Com Sol - Flavio Venturini


Ouvi dizer que são milagres
Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol
Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol
Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono
Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar
Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Cio - Magda Almodóvar


Estou no Cio de novo...
Arranjei um novo amor
A carne ao lembrar dele treme
Contrai-se minha vagina
Derrete meu interior
O efeito de sua voz é devastador
Enrubesce meu rosto
Intumescem meus seios
Me faço Chuva para o amor
Ah! Cio bendito!
Age em mim de forma intensa
Rejuvenesço
Esqueço problemas
Nem penso em fazer poema
Sou poesia e ardor
Se toca o telefone...
Pula meu coração
O som da campainha...
Dispara o meu tesão
Ah! Homem bendito!
Parceiro em minhas loucuras
Amante despudorado
Namorado meloso
Gato dengoso
Noite estrelada
Tempestade com raios
Ilha deserta
Porta por Deus aberta
Vinho da melhor safra
Antártida emergida
América descoberta
Eros,
Baco,
Anjo da Guarda,
Padroeiro,
Exu,
Papa,
Pastor
É meu analista
Meu confessor
Meu mestre
Meu discípulo
Meu Vademecum
Meu livro de Anatomia
Meu leitor
Meu desbloqueio
Minha ideologia
Minha alegria
Meu gozo de amor
Adoro o Cio
Que me faz saber de minha carne
Adoro o Cio
Que me faz sonhadora
Adoro o Cio
Que me transforma
Adoro Você
Que é meu Cio
Prazer do corpo
Lazer da alma
Muitas vezes minha calma
Sempre minha paixão

Amor Proíbido - Leila Cordeiro


Só quem viveu entende
Amor proibido.
Mexe com a essência da gente,
Com o libido.
Tudo fica mais excitante.
No encontro escondido
O coração bate forte,
O rosto cora.
A um simples roçar de mãos.
Não há quem suporte
A emoção da primeira vez,
É emoção demais.
Mistura de medo e paixão
Arrependimento jamais.
Os sentimentos saltam aos olhos,
As palavras saem entrecortadas.
Parece que o mundo inteiro
Vai descobrir esse pecado.
Mas com tanto amor assim,
Com certeza ele vai ser perdoado.

domingo, 19 de outubro de 2008

O Que Quero De Você - Magda Almodóvar


De você quero o sabor
O desvario

A novidade

O afeto

A entrega

O tesão
De você quero a excitação

A ereção

A penetração

O amasso

O abraço

A nova trilha

A satisfação

O cansaço

De mim quero a nudez

Despir-me do medo

Tirar do limite a roupa

Nua ser instinto

Pelada ser sua

Vestir-me só de desejos

Perfumar-me com seu cheiro

Ser mulher

Quero que ao ir embora

Leve a sensação do prazer
A certeza de ter valido a pena

E que queira voltar

Mais uma vez...

Mais uma vez...

Mais uma vez...

Palavras - Josias de Souza


Desejo:
algo que enlouquece,
faz perder o juízo
e a pureza estremece o corpo
e arrepia a alma.
Vontade de fugir,
de correr na chuva
e brincar com a espuma do mar;
vontade de tomar
sorvete com batatinha,
de assistir filme em casa,
deitado no chão
e dividindo o travesseiro.
Desejo:
sentimento insano
sem nenhuma racionalidade,
simplesmente desejo,
pele arrepiada,
boca cheia d'água,
cheiro de caricia.
Desejo:
pureza, doçura, romantismo,
buquê de flores
no meio da tarde,
telegrama em pleno sábado
dizendo "te amo",
passeio de biquíni no campo
ou piquenique no meio da praia,
regras diferentes,
moda criativa.
Desejo:
mistura maluca de corpo,
de mente, de alma,
mistura fascinante
do certo com o errado,
do belo com o feio,
do doce com o amargo.
Desejo:
vontade de ter você
pra qualquer coisa,
pra passar o dia
vivendo emoções
ou simplesmente
para ficar fazendo nada.
Desejo:
Vontade De Viver
a Tua Vida
e De Te Deixar Viver a Minha,
Intensamente,
Inteiramente,
Eternamente.

No Seu Colo


Me aconchego no seu colo
Você me denga como eu adoro

Seu cheiro que me vicia

E o carinho de suas mãos macias
Tecem em mim magias

Fazem de qualquer dia domingo

Trazem a plenitude do outono

Sou então preguiça e sonho

Em seus braços me abandono

Sussurros tesudos em meus ouvidos

Revelam seus segredos obscenos

Cobertos de mel e carícias tenras

Soando como cantigas e poemas

Me entrego a essa coisa louca

Minha língua se perde em sua boca
Recheada de querência e venenos
 

Depois do amor dormimos serenos

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Banho De Champanhe - Magda Almodóvar


É noite.
Você chega
com olhos de surpresa
e excitação,
nas mãos
um embrulho enfeitado.
Jantamos na intimidade
de nosso mundo de afeto.
Luz de velas,
perfume no ar.
lindo seu jeito de seduzir:
flores, chocolates,
sorriso malicioso,
fala meiga,
silêncios penetrantes.
A luz das velas
faz de seu rosto
travessura e mistério.
Sob a mesa
seus pés deslizam
em minhas pernas,
me arrepiam de ardor.
Findo o jantar,
sentamo-nos no sofá
embevecidos de amor.
Seu abraço me faz estremecer.
Seu beijo deliciosamente safado,
tem cheiro de cama,
exala amor.
No embrulho a promessa
de uma linda noite...
festa a dois.
Lentamente
você abre o embrulho,
desnuda seu desejo,
me enche de vontade.
Champanhe sem taças...
Delírio acenando...
me leva para o quarto,
cenário perfeito
para fantasias a dois.
Despe meu corpo
com delicadeza e malícia.
Tira a roupa
se exibindo com sensualidade.
Meu coração ensaia um bolero sedento,
quente, ritmado,
querendo a dança do sexo,
o par enlaçado,
esfregando os corpos ,
prevendo chuva de gozo,
encontro de amantes,
momentos secretos.
Seu olhar me invade...
tremo de curiosidade...
me entrego à surpresa...
você me comanda...
me perco em seu
sonho...
O líquido borbulhante
começa a molhar meu colo,
desce por meus seios..
Você bebe vagarosamente
o champanhe
que me faz taça de amor.
Ah! Querido!
Amo seu lábios,
enlouqueço com sua língua
que em mim passeia
fazendo fogueira...
meu corpo incendiado
com seu calor.
Gemo mansinho,
sou toda carinho,
sou sua mulher,
fêmea...
amor.
Prendo a respiração
ao vê-lo pegar o Champanhe
para novo banho,
borbulhas de amor.
Meu ventre se encolhe,
chove em minha vagina,
mistura afrodisíaca
de Champanhe e torpor.
Você lambe
a lateral do meu dorso,
desliza sua língua gostosa
por minhas pernas,
virilhas...
grito seu nome,
me entrego a embriaguez
tonta de vontade,
sede de orgasmo,
fome de seu pênis,
fêmea em cio,
sussurro pedidos.
Mais uma vez
sinto o Champanhe
me envolvendo.
Minha fenda úmida
é banhada de Champanhe,
nela sua fonte,
você me bebendo
eu desfalecendo em orgasmo,
suplico que me penetre.
Ah! Querido amor!!!!!
Penetra bem fundo,
faz de mim seu mundo,
estou bêbada de amor.
Agora encaixados,
somos um só corpo,
bebo seu orgasmo
pois este sim é bebida preciosa,
fonte de vida,
meu vício de amor.

Abusada - Tania Mara Camargo


Aguçando os sentidos,
Leva ao paraíso
Ou ao precipício.
Leoa no cio.
Desencadeando paixões,
Sorvendo energias,
Dama quente.
Serpente.
Vestido vermelho,
Nada escondendo.
Os olhos devorando,
A cabeça girando
E na boca saliva
Escorrendo.
Passa fingindo-se
De santa,
Aos homens inocentes
Encanta, provoca.
Desperta o desejo
Escondido.
Fúria adormecida,
Um vulcão
Em qualquer pacato
Cidadão.