JellyPages.com

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A Outra - Magda Almodóvar


Ela sempre se interpõe entre nós!
Cada vez que você se entrega um pouco mais,
Fica sem me procurar por longo tempo.
Quando a saudade aperta, ouço sua voz,
Mas não saem de sua boca confissões de amor,
Palavras de bem querer.
No gozo conjunto já ouvi que sou sua vida, sua paixão,
Uma única vez porém,
Agora só o som de sua respiração ofegante,
E o tatear meu corpo delicadamente,
Como a me memorizar.
Ela nos atrapalha!
Em nossos encontros somos três:
Você, eu e... ela!
Que faz com que perca o espontâneo,
Transforme tudo em jogo.
Inconfessadas sensações batem em seu peito
E latejam em suas têmporas!
Seu olhar me diz amor,
sua boca declara racionalização.
Ela, sempre ela!
Fantasma a nos perseguir,
Rédea que freia.
E é falta de tempo,
Excesso de trabalho,
Filhos para se ocupar,
Mais e mais a aprender...
Desculpas!
Ela não deixa você me amar!
Ah! Se ela fosse mais jovem!
Ah! Se ela fosse mais inteligente!
Ah! Se ela fosse mais quente!
Ah! Se ela fosse gente!
É difícil com ela lutar!
Não sei mais que armas usar!
Carinho? 
Já dei!
Fantasias sexuais?
A todas me entreguei!
Pegá-lo pelo estômago?
Doces receitas já usei!
Mostrar indiferença?
Até isto já tentei!
Desisto!
Ela é mais forte,
Já o acompanha faz muito tempo!
Separar-se dela não está em seus planos,
E dividir você, não consigo,
E não conseguirei.
Em triângulo não viverei!
Abrace-a,
Chore minha ausência.
Pelo menos um pedaço querido
Em sua vida sempre serei.
E ela, a amargura,
Marca de amores desastrados,
Não sou eu quem matarei.
É preciso que você assuma o risco
De amar e ser amado,
De assumir a paixão,
De esquecer o passado,
De dar ao nosso caso
O doce sabor de só querer,
Sem medo de se perder.
Ela ou eu?

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

O Chão É A Cama - Carlos Drummond de Andrade


O Chão é a cama para o amor urgente,
O amor não espera ir para a cama.
Sobre o tapete no duro piso,
a gente compõe de corpo a corpo 
a última trama.
E para repousar do amor, 
vamos para a cama!

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Quero Tudo Outra Vez - Dora Saunier


Ainda quero
tua fantasia marota...
teu carinho mimado...
tua palavra rouca...
teu abraço apertado...
tua respiração ofegante...
teu sonho colorido...
teu beijo molhado...
teu olhar no meu olhar...
teu desejo guardado...
tua mão apressada...
teu cheiro embriagador...
tua paixão desenfreada...
teu calor apaixonado...
tua língua penetrante...
teu tesão incontido...
teu amor compassado...
teu sexo rijo e voraz...
tua cavalgada louca...
teu delírio eloquente...
teu gozo rasgado...
tua paz relaxada...
vem meu neném...
ohhhhhh... eu quero mais...
quero tudo outra vez...
ou deixa-me se for capaz.

domingo, 21 de novembro de 2010

Trecho Do Livro: Escrito Nas Estrelas - Sidney Sheldon


(...) O silêncio do quarto
foi rompido por um repentino estrondo de trovoada lá fora.
Lentamente, as nuvens cinzentas no céu
abriram suas comportas e uma chuva fina passou a cair.
Começou discreta e gentil, acariciando o ar quente com erotismo,
lambendo os lados dos prédios, pingando sobre a relva,
beijando todos os recantos escuros da noite.
Era uma chuva quente, leviana e sensual, escorrendo devagar, 
muito devagar, até que o ritmo se acelerou 
e mudou para uma tempestade impetuosa, feroz e exigente.
Uma batida orgíaca, num ritmo firme e selvagem,
martelando com força cada vez maior, mais e mais depressa.
Até finalmente explodir numa sucessão de trovoadas.
E, de repente, tão depressa quanto se iniciara, 
a tempestade acabou (...)

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Te Postas - A.D.


Espera, meu Anjo!
A língua passeia
por pele e dobras.
Tão perto o perfume
que tua flor exala.
Teu cheiro embriaga,
minha razão se abala.
És a fêmea das fêmeas.
És mulher de sobra.
Te viras e deitas
teu corpo no meu
Acaricias e sugas
meu membro em riste.
Tão bom quanto tua boca,
só uma coisa existe:
Tua flor gulosa
do orgasmo no apogeu.
Por fim te acomodas
sobre meu púbis faminto.
Aponto o instrumento
que desliza suave.
Já não mais consigo
ouvir o canto da ave.
Só me sinto invadindo
delicioso labirinto.
Púbis com púbis,
os pêlos se cruzam
Teu rosto está lindo,
os olhos cerrados.
Meu corpo clama
por ser devorado.
Me "come"
e deixa que os corpos se fundam.

domingo, 8 de agosto de 2010

Sexo - Andrade Jorge


O tempo corre em ventos mornos, tépidos,
onde vozes se misturam
entrecortadas por gemidos lépidos,
gargantas sedentas, bocas descontroladas, desvairadas,
o recato esvai-se numa explosão de vontades,
a sensibilidade aflora, o corpo implora, chora,
o cheiro da pele recende, acende o reflexo,
da entrega cega, no ato do sexo,
mãos que buscam, procuram no doce toque febril,
descobrir o desejo, que cresce a cada beijo,
lascivo, criativo, imperativo,
em ardente volúpia nada sutil;
Cabelo em desalinho, respirações ofegantes,
na cama respinga o suor da irresistível sensação,
molhando os lençóis com gotículas da paixão,
emoção que flutua em delírio,
nada mais existe nesta hora,
a libido grita: AGORA! AGORA!
e vem a pura liberdade absoluta, resoluta,
na contração do prazer, de breves eternos segundos,
o corpo vibra, estremece, o íntimo aquece,
os sentidos aguçados, permeiam outros mundos,
abandonando dois corpos em pleno torpor;
O universo pára pra ver,
as estrelas que descem, cintilantes, amantes,
devassando, invadindo o escuro, a penumbra
onde olhares perdidos, vagueiam, ainda, acesos de amor,
corpos cansados, afogueados, ora saciados,
no desenlace desse êxtase que fascina e deslumbra;
Assim entre gemidos excitantes, sem nexo,
o côncavo deliciou o convexo, com ousadia
na frenética poesia da arte do sexo.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Teu Membro - A.D.


Amo
deito
como
saboreio
gozo,
no teu corpo...
Suando
querendo
galopando,
teu corpo...
Mordendo
arranhando
beijando
abraçando
chupando,
teu corpo...
Obsceno
viril
másculo
grosso
e teso,
teu mastro...
Lambo
sugo
circulo
aperto,
teu mastro...
Jatos de sêmen
agora dele, aflora...
está satisfeito
procura meus lábios
quer provar o sabor
do leite por ele jorrado
no meu colo teu maior regalo...
Meus seios,
estão a tua disposição
lamba-os
chupe-os
deixe-os nas mãos...
Ou quer uma ”espanhola”?
meus seios,
são teus noite a fora...
sirva-se deles,
e da minha gruta
Desague teu néctar,
onde desejar...
aqui estou
para te satisfazer
o mesmo,
quero de você...
Apertando teus testículos
te estimulo a libido
deseja aqui,
essa mulher o tanto que te quer...
Continuo: assopro e lambo, teu ouvido
mordo tua nuca
e os ombros também...
entranho as unhas
nas tuas costas,
dá um gemido de dor,
mas pede: ”arranha mais, meu amor...”
Depois de gozarmos...

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Aperta Forte - Fátima Abreu


Aperta forte, minhas ancas...
A respiração está ofegante
o peito bate acelerado
gemidos desgovernados...
o meu seio fisga
pede para ter uma boca,
para sugá-los
você vem,
e preenche todos os meus espaços...
Não deixa dúvida alguma
que satisfaz a mim
e qualquer criatura
teu jeito de amar selvagem
me faz fêmea dominada
e você, meu macho saboroso,
me faz tremer quando chega o gozo...
Sinto as carnes tremerem...

terça-feira, 1 de junho de 2010

Minha Boca, Sua Boca - Amy*


Minha Boca...
Sua Boca...
Uma Entranha...
Um Prazer.
Sua Mão na Minha Coxa
Minha Boca em Você.
Rola, Rebola, Roça.
Entra Sai e Volta.
Molhados, Suados, Melados.
Querendo mais Prazer!
De novo Roçando,
Roçando, 
Tocando.
Lambendo, 
Chupando.
Gemendo, 
Gritando
Sentindo o Prazer.
Meu Corpo...
Seu Corpo.
Melados...
Molhados...
Inertes...
Depois do Prazer!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Um Homem, Uma Mulher, O Tesão - Magda Almodóvar


Quantas mulheres já tiveram sua paixão?
Quanto tempo dura uma alucinação?

Ah! homem vulcão!

Quanto amor espalhado!

Quanto coração despedaçado,

No rastro de sua vida - emoção!

Jamais extingue seu desejo!

Insaciável sua fome de beijo!

Inesgotável sua erupção!
Homem sedutor que cativa com mimos,

Presenteia fidelidade,
vive em duo felicidade,

Deixou florescer saudade!
Homem envolvente,
fascinou-me com poema

Em que o amor era tema
e as mulheres também...

Teve amores em todos os continentes.

Seus ex-amores?
um contingente!

Quem sabe um dia,
um encontro nosso se daria,

E, finalmente,
encontrasse em uma só

o que buscou em tantas,

Motivou seu viver...

A mistura vulcânica de amor e paixão,

Carinho e tesão,
liberdade e ciúme,

Tudo o que se resume
em duas lindas palavras:

Afinidade e amalgamação!!!
Seria a união de dois tesudos,
apaixonados da vida,

Velhos adolescentes
vivendo a plenitude do amor,

Sorvendo com sábia paciência
o elixir da juventude,

Sem ter dela a inquietude.

Venha ao meu encontro!

Seremos a taça e o vinho,
o mar e o barco,

O luar e as estrelas,
a máscara e a fantasia,

A festa e a dança,
mais a loucura

De sucumbir
ao primeiro contato carnal.


Amando A Esmo - Magda Almodóvar


Incendeio...
Um calor domina meu corpo,

Uma chama contínua,

Uma excitação incontrolável,

Cada imagem,

Cada gesto,

Cada cheiro,

Cada música,

Me fazem voar em fantasias

há muito precisando realização...

Me movo dolentemente.

Não falo, murmuro,

Sou só sensibilidade.

Acordo no meio da noite

Procurando ao meu lado

o corpo que me dá prazer.

Ninguém ao meu lado.

Com quem faço amor?

Caminho na praia
conversando
carícias
com o vento.

Afundo meu corpo no mar

pretendendo um abraço molhado.

Deito-me na areia
crendo
que o calor que ela emana é macho.

Me pego dançando lindos boleros

e sentindo meu corpo acariciado.

Encolhida dengosamente no sofá,

estou em colo macio.

Dirijo o meu carro

enquanto mãos possessivas

alisam minhas pernas,

Dedos macios
penetram minha fenda úmida.

Estou amando a esmo...

Amando o amor...

Amando a possibilidade de amar...

Amando alguém
que ainda vai chegar.

Estou amando,

Amando a esmo,

Amando mesmo

Sem ter alguém
a quem amar...


terça-feira, 11 de maio de 2010

Contorcionistas - Magda Almodóvar


O lúdico jogo de amar
Se visto por olhos desatentos

Parece tortura macabra

Jeitos de machucar

Amantes que construíram intimidade
Sabem usar artefatos só para se excitar

Numa saudável loucura

De, sem nada temer, nem risco haver,

Juntos mais e mais ousar experimentar

E não há filme pornô

Nem revista de sacanagem

Que seja mais picante

Mais sensual

Mais sexual

Que amantes privilegiando o prazer

O desejo

A entrega total
A vontade

Homem não perde a masculinidade

Ao ser no anus acariciado

Mulher não se torna puta por se expor e oferecer

E não existe ângulo feio

Posição inadequada
Quando se busca mais e mais se conhecer

A única exigência é que sejam ditados pelo amor
Que tudo purifica

Tudo valida

Tudo permite

Tudo embeleza

É fonte de prazer
Quem se escandaliza,
Não amou de se achar ao se perder

E, bem lá no fundo,

Amante e amado assim queria ser


Soneto Do Orfeu - Vinícius de Moraes


São demais os perigos dessa vida
Para quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua surge de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar, que atua desvairado
Vem unir-se uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher
Uma mulher que é feita de música
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita
Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua.

domingo, 11 de abril de 2010

Nas Minhas Entranhas - Dora Saunier


Nas minhas entranhas
me pego pensando em você...
estás impregnado em mim...
posso sentir teu cheiro forte de suor...
teu hálito puro sabor hortelã...
tenho em meu corpo as tuas digitais...
onde pegastes deixaste os teus sinais...
tua saliva em minha boca escorre feito mel...
teu nome escrevo em folhas de papel...
olho teu retrato e já em desvario...
falo contigo feito gata no cio...
te devoro enquanto toco meu corpo nu...
tento arrancar você da minha pele...
bobagem, estas tatuado nas minhas entranhas...
quero esquecer nossos nossos...
sinto que enlouqueço a cada dia...
é tarde pra esquecer você...
confesso que já não posso.

Faz-Me Tua, A Mulher Que Sou! - Rozeli Mesquita


Tuas mãos afagam a loucura do meu cio
As línguas entrelaçam os desejos
Corpos em espasmos
Fez-me tua!
Pelo prazer, pelo desejo meu ventre contorce
Na linguagem perfeita, corpos bailam
Instintos, pernas e encaixes
Fez-me tua!
Poros, peles, pelos... tesão
Suspiros, gemidos sem nexo
O cio na moldura da tua cama
Meus espaços na tua boca
Na ondas deste amor intenso
Cheiros, toques, licores
Cúmplices, os corpos se entregam
Molhados, suados, doces sabores
Sorriso no canto da boca
Danado, exposto, explorado
A ti, o que nunca dei
Fez-me tua... a mulher que sou!


Desejos Proibidos - Mauri


Desejos proibidos, lascívia, tesão
Teu sexo em minha boca
Meu sexo em tua mão
Você já quase louca
Caindo em tentação
Assim fica difícil, não quero mais parar
Vou nessa com você
Onde você está?
Não quero nem saber
Mas eu quero jogar
Um jogo sem regras e sem nenhum juiz
Onde eu posso ser louco
Mesmo só por um triz
Fazer de tudo um pouco
Sem medo de ser feliz

Plenitude - Val Bonfim


Deixei a ilusão partir
e no silencio da liberdade
me encontrei.
Desafiei o destino
violei regras
e venci o tempo.
Cantei toadas dos amantes
contei estrelas distantes
e embalei o meu ego.
Brinquei de ser poeta
rimei paixão com tesão
e fugi dos versos tristes.
Desamarrei minha alma
desafrouxei o prazer
e saciei o meu corpo.
Aceitei valores mal resolvidos
a intimidade das aventuras
e inventei uma nova mulher.
Briguei com anjos e demônios
suspeitei da boca da noite
e me envolvi na essência do meu ser.

O Amor É Mais - Roberto Carlos

Pra saber o que é o amor
É preciso amar assim
E o amor que eu sinto por você
É igual ao seu por mim
O amor é energia, é luz
Que ilumina a alma
É a força de dois corações
Que traz a paz e acalma
Diferente da paixão
O amor é um sentimento
Está acima da razão
E do passar do tempo
O nosso amor resiste a tudo
À tempestade e ao vento
É forte em nosso pensamento
Imenso em nosso coração
Pro nosso amor não tem distância
Juntos sempre estamos
É assim que nos amamos
Não soltamos nossas mãos
O amor é mais do que eu pensei
É mais do que eu sonhava
E esse amor que eu tanto esperava
Só conheci quando encontrei você
E a emoção do nosso amor
Não dá pra ser contida
A força desse amor
Não dá pra ser medida
Amar como eu te amo
Só uma vez na vida
O amor é energia, é luz
Que ilumina a alma
É a força de dois corações
Que traz a paz e acalma
Diferente da paixão
O amor é um sentimento
Está acima da razão
E do passar do tempo
O nosso amor resiste a tudo
À tempestade e ao vento
É forte em nosso pensamento
Imenso em nosso coração
Pro nosso amor não tem distância
Juntos sempre estamos
É assim que nos amamos
Não soltamos nossas mãos
O amor é mais do que eu pensei
É mais do que eu sonhava
E esse amor que eu tanto esperava
Só conheci quando encontrei você
E a emoção do nosso amor
Não dá pra ser contida
A força desse amor
Não dá pra ser medida
Amar como eu te amo
Só uma vez na vida

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Caixa De Entrada - Magda Almodóvar


Meu coração é 
Caixa de Entrada
Tudo recebe:

Mensagens de amor

Súplicas de ex amor

Promessas de possível amor

Dor de perda

Dissabor

Caixa de Entrada

Que busca saídas

Esforça-se além da medida

Para ser conforto

Parceria

Ouvinte

E manter-se poeta

Amante, sonhador...

Porta sempre aberta

Esqueceu do anti-vírus

Para impedir

Que entrem mensagens

De amargura

Palavras que magoam

Cartas de ira
Desventuras enfeitadas com flor
Caixa de Entrada

Hoje cansada,

Esse coração sem porta

Chegou num ponto

Que não mais suporta

Ficar sem resposta

Seu chamado para o amor

Mude!

Vire caminho

Troque entrada por rota

Pegue a estrada

Feche a porta
 

Vá se fortalecer!
Depositário de segredos

Medos

Receios

Confusas palavras
 

Recheadas de dor
Abre a comporta

Mude de provedor

Você precisa agora

É de colo, carinho...

E muitas canções de amor!

Onde está o novo provedor?
Só o tempo dirá,

Coração sofredor!