JellyPages.com

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Teu Corpo Claro E Perfeito - Manuel Bandeira


Teu corpo claro e perfeito,
– Teu corpo de maravilha,
Quero possuí-lo no leito
Estreito da redondilha...
Teu corpo é tudo o que cheira...
Rosa... flor de laranjeira...
Teu corpo, branco e macio,
É como um véu de noivado...
Teu corpo é pomo doirado...
Rosal queimado do estio,
Desfalecido em perfume...
Teu corpo é a brasa do lume...
Teu corpo é chama e flameja
Como à tarde os horizontes...
É puro como nas fontes
A água clara que serpeja,
Quem em antigas se derrama...
Volúpia da água e da chama...
A todo o momento o vejo...
Teu corpo... a única ilha
No oceano do meu desejo...
Teu corpo é tudo o que brilha,
Teu corpo é tudo o que cheira...
Rosa, flor de laranjeira...


Despertando Sensações - Golden

Ah, que coisas boas, que delícias,
termos a chance destas conversas,
sua voz, em meus ouvidos, carícias,
despertando sensações tão diversas.
Do peito à boca, coração saltando,
emoções, vertendo, incontroláveis,
de um lado a outro, ambos amando,
trocando prazeres, inigualáveis!
Doces recordações, entrelaçadas,
dando asas à nossa imaginação,
mesclando estas imagens amadas,
aos fortes desígnios do coração.
Mais uma vez, braços estendidos,
um do outro, em infinita busca,
envoltos em sentimentos queridos,
e nesta luz, que às outras ofusca.
Carinhos, doces ondas, embalando,
acolhendo, nossos corpos, calor,
neste dar e receber, vamos remando,
até chegar ao paraíso deste amor.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Escrava - Célia Jardim


Quero rasgar sua roupa,
beijar seu corpo, sua boca,
soltar a louca,
que mora em mim,
mas só pensa em você...
E sem nenhum complexo,
deixá-la sugar seu néctar,
e beber o seu prazer...
Quero libertar a louca,
para que toda loucura seja saciada,
toda lucidez seja esquecida,
e deixar que a louca,
seja arrebatada, possuída...
Só então trazê-la de volta,
e esperar que mais uma vez,
ela vença minha força,
e faça de novo tudo,
que só ela ousou e fez...
Essa louca desvairada,
trancada dentro de mim,
que me assusta, me enfrenta,
e sempre me vence no fim...
Essa louca me envergonha,
é o reverso de mim, o despudor,
essa louca que eu aprisiono,
sabe melhor que eu o que é o amor...
Ame essa louca que te trago,
esqueça o que eu sou...
que só me realizo quando me descuido,
e solto a louca,
esquecendo os tabus que em mim ficou...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

O Outro Lado Do Virtual - Silvana Duboc



Não importa quem sou eu
porque não sei quem é você.

Não vou me justificar por ser como sou
seu tempo, 
que já era tão restrito, acabou.
Meu mundo não lhe pertence
nem os meus segredos
você desconhece até mesmo os meus medos.

Das minhas glórias nunca lhe contei

suas mãos nunca toquei

seus olhos jamais vi

você tão longe daqui

para mim não é ninguém.

Pare de me interpretar

por algumas palavras minhas
que você insiste em arquivar.
Suas críticas, carícias
elogios e notícias
para mim nada significam.

São como uma estrada

que não leva a nada.
Deixo tudo pra trás
esqueço que existiram.

Tenho vida real

e embora não pareça

sou normal

coisa que aqui

nesse mundinho pequeno
é tão difícil de achar.
Vejo pessoas que se cruzam,
se entregam
sem ao menos saberem
com quem acabaram de se envolver
vejo ilusões desfalecerem.

Vejo gente se acusando
muitos se elogiando.
Vejo paixões

grandes decepções

e me questiono
até onde são verdadeiras

porque assim como surgiram
viraram poeira
.

A todo instante vejo máscaras
que vão caindo

e personagens virtuais
vão se extinguindo.

Vejo falsidade

ignorância
apego na distância no irreal.
E a minha volta existe coisa real

que você parece desconhecer.

São amigos que me olham nos olhos

casa para arrumar

filhos para educar
revistas e livros para ler
cinema para curtir

cds para ouvir

a ginástica
a caminhada
a feira

a empregada

a obra da casa tão complicada

a irmã que está triste e amuada

a avó que adoeceu

meu amor que me esqueceu

o trabalho que não está em dia
a mãe que suplica pela minha companhia.
E quem é você afinal

que desconhece minhas tristezas e alegrias?

Só porque desfruta
de alguns momentos

na minha companhia

em frente a tela de um computador

nomeou-se meu dona ou meu senhor?

Não tente invadir meu mundo real

nem colocar palavras
na ponta dos meus dedos.

No canto do meu quarto
anônima
e estática
existe uma tela
por onde posso navegar
apenas isso

nela eu nunca vou morar

e por ela
nunca vou lhe deixar
aqui na minha casa entrar.

Além disso
a minha vida tem
um portão
com corrente,
chave e cadeado
e só entra dentro dela
quem é convidado

você não foi,
portanto fique aí do outro lado.

Confiança - A.D.

Não é o Caráter...
Nem defeito nem qualidade...
É inconstância...
É chama inconstante...
É a mão no fogo...
É a dose de hipocrisia permitida...
A cada inconstância...
O caráter não é a qualidade,
É a confiança...
A confiança é o fator constante,
É o defeito do caráter...
É a mão no fogo...
Ardendo no vento...
Soprando a fumaça sofrida...
O tempo... o tempo...
Para que deixa-lo resolver todos os problemas?
Provém a confiança do tempo...
Provém a dor da confiança...
A confiança no caráter...
Chama inconstante levada em fumaça sofrida...
A ilusão nos puxa pela mão direita,
Nos arrasta para andarmos juntas,
Rente ao precipício,
E na esquerda bem apertada nossa confiança,
Havia até inocência em seu sorriso,
Enquanto caminhávamos,
Não pela primeira vez,
Sim, se comete o mesmo erro duas vezes.
A ilusão também é mortal,
E não aceita morrer sozinha,
Rente ao precipício,
A mão no fogo,
A mão na chama inconstante,
Que nunca esteve lá,
No entanto ardeu...


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Degusta-Me Ou Devoro-Te - Bru Diniz


Beijaste-me lentamente,
instigando os meus desejos,
nos teus toques, no teu cheiro,
o carinho e a sedução...
Das tuas doces palavras,
o mel em tua saliva
Nos delírios de prazer,
teus olhos me penetraram
Despiste a minha'alma,
já não tenho mais controle,
em tua língua, o meu libido
degusta-me ou devoro-te!

Das Cerejas - Chinezzinha


De cerejas enfeitada
Anseio que se sumam...
...de meu corpo
Degustadas lentamente...
E... com um jeito de quero mais...
Te encho desse fruto...
Rubro e carnudo
Me saciando em ti...
De cerejas é teu gosto
Que molhado, 
...se liga ao meu
Bocas molhadas de desejo
Gosto de mescla carmesim
Em que nos amamos,
Aqui...
Assim...

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Incandescente … - Chinezzinha


Gosto de te sentir louco
De te deixar insano de desejo.
Gosto!
Gostava de te deixar alucinado
Com meus lábios em teu corpo
Numa dança sensual e erótica.
Gostava…
Gostava de mordiscar tua pele
Sentir o seu odor…  degustar o seu sabor.

Gostava

Gostava de ouvir teus sussurros
Da música dos teus gemidos
Em meus ouvidos.
Gostava…
Gostava do teu toque suave e atrevido
Em meu corpo ardente.
Gostava…
Gostava de sentir tuas mãos e lábios
Percorrendo em doces carícias minhas costas.
Gostava…
Gosto de te sentir fervente.
Incandescente…
Gosto!