JellyPages.com

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Um Homem, Uma Mulher, O Tesão - Magda Almodóvar


Quantas mulheres já tiveram sua paixão?
Quanto tempo dura uma alucinação?

Ah! homem vulcão!

Quanto amor espalhado!

Quanto coração despedaçado,

No rastro de sua vida - emoção!

Jamais extingue seu desejo!

Insaciável sua fome de beijo!

Inesgotável sua erupção!
Homem sedutor que cativa com mimos,

Presenteia fidelidade,
vive em duo felicidade,

Deixou florescer saudade!
Homem envolvente,
fascinou-me com poema

Em que o amor era tema
e as mulheres também...

Teve amores em todos os continentes.

Seus ex-amores?
um contingente!

Quem sabe um dia,
um encontro nosso se daria,

E, finalmente,
encontrasse em uma só

o que buscou em tantas,

Motivou seu viver...

A mistura vulcânica de amor e paixão,

Carinho e tesão,
liberdade e ciúme,

Tudo o que se resume
em duas lindas palavras:

Afinidade e amalgamação!!!
Seria a união de dois tesudos,
apaixonados da vida,

Velhos adolescentes
vivendo a plenitude do amor,

Sorvendo com sábia paciência
o elixir da juventude,

Sem ter dela a inquietude.

Venha ao meu encontro!

Seremos a taça e o vinho,
o mar e o barco,

O luar e as estrelas,
a máscara e a fantasia,

A festa e a dança,
mais a loucura

De sucumbir
ao primeiro contato carnal.


Amando A Esmo - Magda Almodóvar


Incendeio...
Um calor domina meu corpo,

Uma chama contínua,

Uma excitação incontrolável,

Cada imagem,

Cada gesto,

Cada cheiro,

Cada música,

Me fazem voar em fantasias

há muito precisando realização...

Me movo dolentemente.

Não falo, murmuro,

Sou só sensibilidade.

Acordo no meio da noite

Procurando ao meu lado

o corpo que me dá prazer.

Ninguém ao meu lado.

Com quem faço amor?

Caminho na praia
conversando
carícias
com o vento.

Afundo meu corpo no mar

pretendendo um abraço molhado.

Deito-me na areia
crendo
que o calor que ela emana é macho.

Me pego dançando lindos boleros

e sentindo meu corpo acariciado.

Encolhida dengosamente no sofá,

estou em colo macio.

Dirijo o meu carro

enquanto mãos possessivas

alisam minhas pernas,

Dedos macios
penetram minha fenda úmida.

Estou amando a esmo...

Amando o amor...

Amando a possibilidade de amar...

Amando alguém
que ainda vai chegar.

Estou amando,

Amando a esmo,

Amando mesmo

Sem ter alguém
a quem amar...


terça-feira, 11 de maio de 2010

Contorcionistas - Magda Almodóvar


O lúdico jogo de amar
Se visto por olhos desatentos

Parece tortura macabra

Jeitos de machucar

Amantes que construíram intimidade
Sabem usar artefatos só para se excitar

Numa saudável loucura

De, sem nada temer, nem risco haver,

Juntos mais e mais ousar experimentar

E não há filme pornô

Nem revista de sacanagem

Que seja mais picante

Mais sensual

Mais sexual

Que amantes privilegiando o prazer

O desejo

A entrega total
A vontade

Homem não perde a masculinidade

Ao ser no anus acariciado

Mulher não se torna puta por se expor e oferecer

E não existe ângulo feio

Posição inadequada
Quando se busca mais e mais se conhecer

A única exigência é que sejam ditados pelo amor
Que tudo purifica

Tudo valida

Tudo permite

Tudo embeleza

É fonte de prazer
Quem se escandaliza,
Não amou de se achar ao se perder

E, bem lá no fundo,

Amante e amado assim queria ser


Soneto Do Orfeu - Vinícius de Moraes


São demais os perigos dessa vida
Para quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua surge de repente
E se deixa no céu, como esquecida
E se ao luar, que atua desvairado
Vem unir-se uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher
Uma mulher que é feita de música
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita
Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua.