JellyPages.com

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Entra - Renata Arruda

Entra! 
Que por uma louca razão
deixei a porta aberta.
Entra sem falar nada, 
só entra.
Vem! 
Te convido a entrar na minha boca,
a beijar meus seios, 
a tocar o meu corpo.
Tua mão, 
minha mão, 
descobre onde pode,
onde vibra, 
onde excita, 
onde arde.
Sopra! 
Levanta os meus cabelos,
sente o meu cheiro, 
morde o meu pescoço.
Tua pele, 
minha pele, 
o atrito, 
o lugar mais extremo,
energético, 
magnética atração.
Fala tudo que eu quero ouvir.
Constrói encontros.
Descobre atalhos 
e marca.
Marca com força, 
marca suave,
Marca gemendo.
E quando for embora, 
não esquece.
Eu estou em você 
e você entrou em mim.
extremo,
energético, 
magnética atração.
Fala tudo que eu quero ouvir.
Constrói encontros.
Descobre a talhos e marca.
Marca com força, 
marca suave,
Marca gemendo.
E quando for embora, 
não esquece.
Eu estou em você 
e você entrou em mim.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Meu Corpo Sua Morada - Magda Almodóvar

Meu corpo é feito de tesão e dança... 
Meu corpo é feito de sintonia e calma... 
Meu corpo é feito de calor e vontade... 
Sou saudade. 
Quero você! 
Meu corpo é feito de eletricidade... 
Meu corpo é feito de disponibilidade... 
Meu corpo é feito de claros e escuros... 
Sou necessidade. 
Quero você! 
Meu corpo é feito de espera... 
Meu corpo é feito de entrega... 
Meu corpo é feito de cio... 
Sou carência. 
Quero você! 
Meu corpo é feito de encaixe... 
Meu corpo é feito de fendas... 
Meu corpo é feito de sulcos... 
Sou cadência. 
Quero você! 
Meu corpo é feito labirinto... 
Mais me anda, mais se perde... 
Mais se perde, mais me sabe... 
Mais me sabe, mais me encontra... 
Mais me encontra, mais penetra... 
Sou porta aberta. 
Quero você! 
Meu corpo é feito de caminhos e descaminhos... 
Meu corpo é feito de segredos e descobertas... 
Meu corpo é feito de curvas e ondas... 
Me percorre. 
Quero você! 
Meu corpo é prisioneiro... 
Meu corpo é viciado... 
Meu corpo agrilhoado... 
Vive a espera de você! 
Meu corpo grita seu nome... 
Meu corpo grita meu dono... 
Meu corpo grita meu homem... 
Vem me faz emudecer! 
Meu corpo é sua morada... 
Vem pra casa... 
Vem viver!     

Te amo - A.D

Eu te amo:
incondicionalmente, 
infinitamente, 
inexplicavelmente, 
extremamente, 
inigualavelmente, 
indiscutivelmente, 
idolatradamente, 
eternamente, 
ilimitadamente, 
imortalmente, 
imponderavelmente, 
incomensuravelmente, 
impostergavelmente, 
impreterivelmente, 
improrrogavelmente, 
imputrescivelmente,
imutavelmente, 
inabalavelmente, 
incessantemente, 
inconcebivelmente, 
indelevelmente, 
independentemente, 
indeterminadamente, 
indispensavelmente, 
indissoluvelmente, 
indivisivelmente, 
inefavelmente, 
inerentemente, 
inesgotavelmente, 
inestimavelmente, 
inevitavelmente, 
inexaurivelmente,
inexcedivelmente, 
infatigavelmente,
inflexivelmente,
inimaginavelmente,
inesquecivelmente, 
inquestionavelmente, 
insofismavelmente, 
integralmente, 
inteiramente,
irreversivelmente,
intensamente, 
invariavelmente, 
irredutivelmente, 
incomparavelmente, 
invulneravelmente, 
irrefutavelmente, 
irrepreensivelmente, 
irrevogavelmente, 
excepcionalmente, 
incrivelmente. 
Tá bom ou quer mais?

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Quando Te Conheci - L.P.V.

Te vi um dia... 
Não sei o porque
mas quis você.
Seu jeito, sua forma de agir.
Ahhhhhh, não resisti.
Só queria você pra mim.
Tentei, 
ser só amigo, eu sei...
Então com você sonhei! 
Seu corpo toquei.
Ahhhhhh, sonho lindo, real. 
Acordei, coração disparado, suado
mas ali você estava.
Tentei,
 com sua amizade fiquei.
O tempo passou... 
De amizade 
virou amor correspondido. 
E sem esse amor 
sinto que não sei viver... 
Por que?
...simples... 
AMO VOCÊ!! 

Augusto Branco

Não sei nem mais dizer
O que sinto por você...
Se é amor... 
Se é amizade... 
Se é paixão...
Mas suspeito fortemente 
Que seja tudo isso junto!

Busca-Me E Completa-Me - A.D

Busca-me e completa-me...
Faça de mim sua morada.
Venha de longe...
Venha de perto.
Traga amor a este corpo só...
Mas venha quente, que eu preciso de calor...
Traga consigo, muito amor...
Venha sedento, traga paixão...
Venha correndo, que estou afoita...
Traga desejo e sedução...

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Cio - A.D.

Entre as pernas te prendo
serpente e presa em duelo
Instintivos golpes
em obscena estratégia
– despudorada arma
Vitoriosa
bebo em teu cálice
o sêmen
...chove sobre o cio. 

Dia De Faxina - Rosy Beltrão

Estava precisando fazer uma faxina em mim... 
e fiz : abrindo o armário. 
Assim como jogar alguns pensamentos indesejados fora, 
lavar algumas essências que andam meio que enferrujadas, 
pois já não brilhavam. 
Tirei do fundo das gavetas 
lembranças que não uso e não quero mais. 
Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões. 
Papéis de presente que nunca usei, 
sorrisos que nunca darei, 
joguei fora a raiva e o rancor 
das flores murchas que estavam 
dentro de um livro que não li. 
Olhei para meus sorrisos futuros 
e minhas alegrias pretendidas, 
e as coloquei num cantinho, 
bem arrumadinhas. 
Fiquei sem paciência, 
tirei tudo de dentro do armário 
e fui jogando no chão: 
paixões escondidas, desejos reprimidos, 
palavras horríveis que nunca queria ter dito, 
mágoas de um amigo, 
lembranças de um dia triste, 
mas, havia lá outras coisas e belas!!! 
Um passarinho cantando na minha janela... 
aquela lua cor de prata que vi um dia vi na praia, 
o por do sol nas montanhas... 
Fui me encantando e me distraindo; 
olhando para cada uma daquelas lembranças. 
Sentei no chão, 
para poder fazer minhas escolhas. 
Joguei direto no saco de lixo 
os restos de um amor que me magoou. 
Peguei as palavras de raiva e de dor 
que estavam na prateleira de cima, 
pois, quase não as uso e 
também joguei fora no mesmo instante! 
Outras coisas que ainda me magoam, 
coloquei num canto 
para depois ver o que faria com elas. 
Se as esquecia lá mesmo 
ou se mandava para o lixão. 
Aí, fui naquele cantinho, 
bem naquela gaveta 
que a gente guarda tudo o que é mais importante: 
o amor, a alegria, os sorrisos, 
um dedinho de fé 
para os momentos que mais precisamos, 
e sabe o que descobri ? 
Que tinha um jóia lá, toda embrulhadinha, 
tão rara e preciosa, 
talvez o maior bem que possua. 
Eu não a usava há muito tempo. 
Nem sabia que a tinha mais, 
tinha me esquecido. 
Mas, ela estava lá 
e quando eu a olhei, 
ela brilhou para mim, 
como sempre o fizera. 
Peguei-a entre os dedos e fiquei apreciando. 
Assim, entre embevecida e encantada. 
Cuidei dela com muito carinho, 
despejei meu amor por entre suas frestas 
e não deixei de usá-la mais. 
Agora mesmo eu a estou usando 
para falar com você. 
Pode saber o que é? 
Sim, amigo, é minha arte de escrever. 
De brincar com o teclado 
e com o jogo de letras 
que se fazem visíveis no meu pensamento 
mesmo antes de os dedos tocarem o teclado, 
mas, que às vezes, 
parece que são mais rápidos que do que ele 
e posso me divertir mais assim. 
E com uma simples frase, 
escrever uma história inteira. 
Em dia de faxina, 
sempre fica tudo uma bagunça incrível, 
desorganizamos tudo, 
para colocar em ordem depois. 
Mas, o melhor é desorganizar a ordem, 
porque fica tudo certinho. 
Bem, desse jeito ...mais fácil para mim. 
Recolhi com carinho o amor encontrado, 
dobrei direitinho os desejos, 
coloquei perfume na esperança, 
passei um paninho na prateleira das minhas metas. 
Deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista. 
Coloquei nas prateleiras de baixo 
algumas lembranças da infância. 
Na gaveta de cima, as da minha juventude 
pendurado bem à minha frente, 
coloquei o meu amor 
pois, eu o uso a todo instante, 
mantenho-o sob meu olhar de paixão incontida, 
banho-o todos os dias com ternura, 
dou-lhe atenção de menina, 
durmo com ele, 
bem juntinho ao meu lado 
e encho-o de beijinhos melados 
E ele? Bem... ele retribui.

Cobiça - Adina Bezerra

Arrepio pêlos
quando te vejo
Sinto-me
constelação nua
Percebo
minha umidade atmosférica
E resplandeço
o brilho da lua
Feito maçã
mergulhada no vinho
Minha esfera
te reserva
A degustação
entre-ninho
Consumação
da sôfrega entrega. 

Teu Pecado, Meu Prazer - Rozeli Mesquita

Quero teu grito 
Teu desespero
Tua insanidade
Teu pecado
Teus espasmos
E teu orgasmo.
Quero a loucura latente
Teu corpo quente
Joelhos dobrados
E olhar guloso.
Tua boca
Tem sede de mel 
Sede do meu prazer.
Te envolvo
Te conduzo
Te confundo
Perca o juízo...
Penetra ferozmente
E num grito de gozo
Esgota meus desejos
Alimenta os devaneios
Me toma pelo meio
Escala o meu corpo.

Aceita? - Hanna Massaud

O abraço que hoje meus braços
insistem em querer dar.
Aceita meus lábios que quase em oração
Sussurram baixinho pelos seus.
Aceita esse afago, olhar
que moram nos meus.
Aceita nem que por um instante
Todo esse amor errante
Que vagueia em meu
peito cravando seus dedos.
Aceita-me em teus braços,
Me arranca os medos…
Aceita tudo que já seu,
Aceita meu corpo e alma,
que se completam, sem véu.
Aceita o afeto do olhar perdido.
Que buscam os teus…
Aceita esse amor que de nada tem de pecado
Tem do verdadeiro, real, amor revelado.
Quase surreal esse sentir…
Que ultrapassa esquemas, definições e foge aos temas.
Um amor de telas, tintas, letras, pele…
Um amor que se aceita assim todo nele.
Um sentir que nasce tão puro
Irrompe muros, brilha nos escuros…
Que não precisa de métricas, padrões e conceitos.
Apenas existe na essência de seu próprio existir.
Que se basta em mim, se estiver com você.
Aceita esta parte de mim
Meu melhor em prosa ou versos…
Não importa…
Aceitando todo esse jeito de amar
Que seja inverso,
mas que eu viva e seja teu universo.
Aceita meu olhar nos teus.
Me reflita nas retinas interiores.
Que hoje eu consiga mais,
Seja a força reunida de todos seus amores.

Os Sete Pecados Capitais Do Amor - Adriana Costa

Gula:
O meu olhar
te engole e te bebe
desde tua sombra
até o que respiras
Inveja:
Invejam os astros dia a dia
o brilho estelar dos teus olhos 
e o sorriso nacarado que observo
sem piscar provocas os deuses
com o tecido nobre de tua pele morena 
Avareza:
Não te empresto
a um olhar sequer 
Estou te acumulando 
em memórias só para mim
Luxúria:
Tens-me lasciva
e devassa líquida a escorrer
pelo teu corpo em forma de língua 
Vaidade:
Têm brilho argênteo
nossas umidades
e os pelos luzem mais que mil sóis 
Preguiça:
Arrasta-me para fora da cama 
se não me quiseres 
Leva-me embora 
Mas leva-me nos braços
Ira:
Odeio este amor que me extravasa
rasgando-me a pele 
como a um papel.

Luxúria - Milla Pereira

Louco e impensado amor
Que nada mais é do que Paixão!
Loucura, uma lascívia, um tesão.
Desejo de estar contigo, então...
Roçar nossos corpos, com calor!
Roubar de teus lábios doce mel...
Dar-me inteira, sem proibir.
Tuas mãos em meu corpo, sentir.
O arrepio de meus poros fluir.
Rolar contigo, chegando ao céu!
Ter-te, noite e dia na luxúria.
Desta necessidade premente.
Ouvir de tua boca, insistente,
Palavras doces, que num crescente,
Chegam ao extremo da injúria!
Tu colhes de mim a seiva incauta,
Que derramo em tua boca faminta!
Em minhas entranhas, sem qu’eu sinta
A fome de amor, nunca extinta,
Desfaleço em teus braços, exausta!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Mulher Fenomenal - Maya Angelou

Mulheres curiosas por saber 
Onde meu segredo se encontra
Não sou atraente ou feita para me moldar 
Ao tamanho do que está na moda
Mas quando eu começo a contar-lhes,
Elas pensam que estou dizendo mentiras.
Eu digo:
Está no alcance dos meus braços
Na extensão dos meus quadris,
A distância do meu passo
A ondulação dos meu lábios.
Eu sou uma mulher,
Fenomenal.
Mulher fenomenal sou eu.
Eu entro num ambiente
Simplesmente arrojada 
Conforme lhe agrada
E para um homem,
Os companheiros ficam em pé ou
Caem de joelhos
Então se aglomeram em minha volta
Um enxame de abelhas no mel
Eu digo:
É o fogo nos meus olhos,
E o brilho dos meus dentes,
O balanço da minha cintura
E a alegria dos meus pés.
Eu sou uma mulher,
Fenomenal.
Mulher fenomenal
sou eu.
Os próprios homens querem saber
O que eles vêem em mim,
Eles tentam tanto
Mas não podem tocar meu interno mistério.
Quando eu tento mostrar-lhes,
Eles dizem que ainda não conseguem ver.
Eu digo:
Está no arco das minhas costas,
O sol do meu sorriso,
O percurso dos meus seios,
A graça do meu estilo.
Eu sou uma mulher,
Fenomenal.
Mulher fenomenal 
Sou eu.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Controle Total - L.P.V.

Sim... 
Tenho controle sobre você, 
ti uso, 
abuso, 
ti faço de gata safada,
ti tenho,
num desdenho, 
ti laço, 
ti trago no meu corpo,
devoro seus desejos,
cúmplice de seus delírios, 
arranco seus gemidos, 
sem dor e sem pudor...
minha leoa,
felina menina,
sou teu.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Inconfessáveis... - Nádia Santos

Tu é meu desejo mais impuro, 
indecente
Daquele que faz 
alguns enrubescer
Só tu me despertasse loucas volúpias
Que em mim existiam, 
e eu me negava entender...
Com esse olhar lânguido
Envolvente, ardente, sedutor
Acordou em mim uma amante quente
Que a ti se entrega sem pudor
As sensações que sinto são inexplicáveis
Viajo num mundo de fantasias desconhecidas
De beijos, carícias e palavras... 
Inconfessáveis!
Quando em teus braços tudo o mais desaparece
O nosso quarto, nosso pequeno mundo
Onde tudo é permitido... 
Onde tudo acontece...