JellyPages.com

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Me Chame - Angel

Apenas me chame...
a minha mente deseja,
meu corpo todo lateja.
Então, posso te sentir,
dentro de mim.
Te sinto inteiro...
O gosto,
o cheiro.
Não importa
se é só um sonho,
fantasia,
irreal...
Posso te ter,
afinal...

O Toque - Madu Dumont

Seu toque abriu minha carne ao calor,
à luz, como uma flor.
Suas mãos com a textura de seda
sobre a minha pele febril.
Meus olhos convidavam-no,
eu queria ostentar o jogo
que havia dentro de mim.
Sua mão movia-se furtiva, suave.
Tocava os lábios do meu sexo,
mordiscava um mamilo.
Era tantalizante, cruel.
Uma febre que não se contentava
apenas com o prazer.
Nossos corpos carregados de desejos,
obcecados por nossas exigências eróticas.
Precipitei-me sobre ele como uma tempestade,
deixou-me bêbeda com palavras acariciantes.
Meu corpo inteiro estremecia.
Avançou comigo para o crescente,
e selvagem, ápice do orgasmo. 

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Das Paixões - A.D.

...Se Você Pudesse - A.D.

...Se você pudesse
por um instante, 
estar em mim...
perceberia o quanto te quero...
que em cada sorriso escondido 
atrás da tela...
há um calor de prazer...
uma ansiedade de amar...
um carinho querendo ter...
uma alma a cantar....
...Se você pudesse 
por um instante, 
estar em mim...
perceberia o quanto te pertenço.... 
que somente por ti
meu coração se abre... 
mesmo no frio... me aquece... 
no silêncio... te sinto...
nas palavras... te acolho....
seus beijos... meus desejos...
...Se você pudesse 
por um instante,
estar em mim... 
transportando-me no espaço,
estando na constância do tempo...
me acolhendo em seus braços...
te amando sem cansaço...
me entregando 
em teu amasso...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sinto Em Meu Corpo - Asta Vonzodas

Sinto em meu corpo 
sua língua.
Que me arde como se fosse 
um chicote de fogo.
E mesmo que eu não queira 
me induz a jogar o seu jogo.
Me entorpece os sentidos, 
abafa-me os gemidos 
até provocar o meu gozo.
Que poder é esse?
Que sedução devassa 
é essa que sinto sempre 
que você me abraça?
Só de lhe ver 
me arrepia a pele, 
em choques térmicos.
E me rendo pacífica 
aos seus desejos hipotéticos.
Me excita 
e me choca a sua ousadia.
Mais sempre mais e mais, 
como num crescendo, 
embarco na sua fantasia.
E quando entregue 
aos nossos devaneios 
sentindo em meu corpo 
os seus meneios, 
nada mais importa.
Abrimos, do desejo as portas, 
simplesmente porque 
você é meu homem 
e eu... sou sua mulher...

Carnívora - Marly Caldas

Sou carnívora
Te devoro
Te mordo aos pedaços
Os melhores nacos
Sem pressa
Sentindo teu gosto
Te comendo aos poucos
Saboreando
Sem mastigar
Tua carne saborosa
Doce ou salgada
Dependendo do lugar
Te engulo todo
Sem te digerir
E por muito tempo
Dentro de mim te deixo ficar
A me alimentar...

Ai! Que Vontade! - Marly Caldas

Ai! Que vontade!
Sabe de que? Sabe sim!
De ter você aqui!
Perto de mim!
Vontade de tudo!
Vontade de abraçar
beijar e acarinhar!
E outras coisas também que você tanto gosta!
Vontade de estar com sua mão 
percorrendo todo meu corpo!
Me arrepiando
me dando tesão
me umedecendo!
Vontade de sentir você dentro de mim,
me ocupando
me dominando,
quase me fazendo chorar de prazer!
Vontade de ter você em minha boca
roçando e sugando engolindo seu amor!
Vontade de tantas coisas!
Sentir nossas mãos juntas
nossos rostos colados,
nossa respiração misturada
nossos corpos suados
nossas pernas entrelaçadas
e apertadas...
E por fim aquele enorme gozo que parece não ter fim!
E sempre você dentro de mim!
Ai! Querido!
Vem! Vem depressa!
Pois a vontade é muito grande!
E essa vontade se chama você!!!

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

O Que Eu Vou Dizer Para O Meu Corpo - Wando

Razões tenho demais pra te deixar 
Mas não consigo 
Não sei onde esse amor vai me levar 
Mas eu não ligo 
Fugir quem sabe seja a solução 
Mas como vou fugir de uma paixão 
Talvez até consiga me enganar 
Mas como enganar meu coração? 
Razões tenho demais pra te deixar 
E ir embora 
Mas só a sensação de te perder 
Nesse momento me apavora 
Quem sabe eu possa me recuperar 
Tentando um outro amor no seu lugar 
Razões eu tenho demais pra te deixar 
E ir embora 
O que é que eu vou fazer 
O que é que eu vou dizer 
Para o meu corpo 
Que vai ficar vazio 
E quase morto 
Pois é tão dependente de você 
O que é que eu vou fazer 
Se essa indecisão me enlouquece 
Valorizar assim quem não merece 
É coisa que eu não posso responder 
Razões eu tenho demais pra te deixar 
E ir embora 
Mas só a sensação de te perder 
Nesse momento me apavora 
Quem sabe eu possa me recuperar 
Tentando um outro amor no seu lugar 
Razões eu tenho demais pra te deixar 
E ir embora 
O que é que eu vou fazer 
O que é que eu vou dizer 
Para o meu corpo 
Que vai ficar vazio 
E quase morto 
Pois é tão dependente de você 
O que é que eu vou fazer 
Se essa indecisão me enlouquece 
Valorizar assim quem não merece 
É coisa que eu não posso responder 
O que é que eu vou fazer 
Se essa indecisão me enlouquece 
Valorizar assim quem não merece 
É coisa que eu não posso responder

Seu Nome - Byafra

Quando escuto sua voz
Estremeço, me dá um nó
Sinto o tempo me tocar
Como um beijo
Que ficou no ar
Foi bom...
Como posso te esquecer?
Se o teu cheiro
Está em mim
Invadindo sem querer
Tudo passa
E eu só sei dizer
Seu nome, seu nome...
Tudo aquilo que senti
Não dá mais pra se apagar
Fecho os olhos
Não te esqueço
Deito e amanheço
Como é bom lembrar...
Tudo aquilo que senti
Não dá mais pra se apagar
Fecho os olhos
Não te esqueço
Deito e amanheço
Como é bom lembrar
Seu nome, seu nome...
Como posso te esquecer?
Se o teu cheiro
Está em mim
Invadindo sem querer
Tudo passa
E eu só sei dizer
Seu nome, seu nome...
Tudo aquilo que senti
Não dá mais pra se apagar
Fecho os olhos
Não te esqueço
Deito e amanheço
Como é bom lembrar...
Tudo aquilo que senti
Não dá mais pra se apagar
Fecho os olhos
Não te esqueço
Deito e amanheço
Como é bom lembrar
Seu nome, seu nome...
Amor!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Pablo Neruda

Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim 
A segunda é ver o outono 
A terceira é o grave inverno 
Em quarto lugar o verão 
A quinta coisa são teus olhos 
Não quero dormir sem teus olhos. 
Não quero ser... sem que me olhes. 
Abro mão da primavera para que 
continues me olhando.

Nossos Corpos - A.D.

Quando nossos corpos se tocam
Mesmo por cima da roupa
Sinto o calor que vem do teu corpo
Misturando ao calor do meu
São gotas do suor
Gotas de quem esperou por esse momento
Agora, as roupas vão caindo
Revelando o sexo nervoso
Sexo endurecido
Sexo umedecido
Mãos que seguram sexo
Mãos que penetram sexo
Línguas que lambem
Sexo que arrepia
Sexos que se encontram
Enfim
Sexo que agasalha
Sexo que desbrava
Acabamos 
Me deito sobre teus pêlos 
Sinto o cheiro do meu sexo, 
No teu Sinto o teu cheiro 
misturado ao meu 
Cheiro do gozo supremo 
Cheiro do sexo 
Que eu adoro

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Mistérios - L.P.V.

Que mistérios são estes
que me prendem a você?
Que mistérios são estes
que não desvendo?
Que mistérios são estes
que longe de ti,
 fico sem chão?
Que mistérios são os teus
que nos meus
se fazem segredos?
Desvenda os meus
mas quando os vir, não fujas...
De que são feitos os mistérios?
Já nem sei...
E também não quero saber...
O que sei, 
é que teus mistérios
já fazem parte dos meus sonhos.
Se deite 
e descobrirei cada um deles...
Num toque,
Num gemido,
Num balbuciar,
Num beijo...
Quem sabe?
...Mistérios...
Ainda os quer desvendar?

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Nosso Banho - Vênus

Me dispo...
Tiro 
Uma a uma 
Minhas roupas...
E vou deixando pelo chão
Em desalinho...
Entro no box
Abro o chuveiro
Deixo a  água me envolver
Sinto o sabonete 
Escorrer pela pele
(Sua língua)
Deslizando...
Quente
Me atiçando...
Me deixando 
Com mais
Vontade de te ter...
De olhos fechados
Esfrego a esponja 
(Suas mãos)
Por todo corpo
Devagar
Sentindo cada toque
Me acariciando
Me arrepiando...
Me fazendo sentir coisas
Que só contigo sinto:
Desejos
Delírios
Prazer
Sempre querendo mais...
A água continua a escorrer
Me lavando
Tirando a espuma 
Misturada
Aos líquidos que escorrem
(O teu, o meu)
Entre minhas pernas...
Por você!

Cor-Respondência - Elisa Lucinda

Remeta-me
os dedos
em vez de cartas de amor
que nunca escreves
que nunca recebo.
Passeiam em mim estas tardes
que parecem repetir
o amor bem feito
que você tinha mania de fazer comigo.
Não sei amigo
se era seu jeito
ou de propósito
mas era bom
sempre bom
e assanhava as tardes
Refaça o verso
que mantinha sempre tesa
a minha rima
firme
confirme
o ardor dessas jorradas
de versos que nos bolinaram os dois
a dois
Pense em mim
e me visite no correio
de pombos onde a gente se confunde
Repito:
Se meta na minha vida
outra vez meta
Remeta.

Fervura - L.P.V.

Seu corpo estava quente, febril
Encostei, senti seu calor sair por seus poros
Se encaixa...
Não pensei duas vezes...
Como resistir?
Toquei, tudo quente
Fervia o meu sangue
E num toque delicado
Caricias quentes
Delicadamente o amor se fez...

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Quando Volto - L.P.V.

O caminho é longo, 
quando volto... 
os metros 
parecem quilômetros.
Acelero 
e até os batimentos 
do meu coração 
batem com pressa de chegar...
Jogo minhas tralhas no chão,
já não me importo com nada. 
Hoje só quero você 
sem frescura, 
sem limites, 
seja minha.
Venha acelerar meu corpo 
estremecendo minha estrada 
até meu ponto de chegada...

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Cristal - L.P.V.

Sinto, Sim - L.P.V.

Marca De Amor - L.P.V.

Venha,
minha leoa
Viva,
tudo isso comigo
Ti pego 
Você me arranha
Ti jogo na cama
Ti xingo
Vira 
Reviro
Ti cato
Penetro,
sem pedir
Você grita, 
geme
Enlouqueço
Esqueço,
que somos humanos
E nos panos, 
deixaremos nosso amor
Numa marca de prazer