JellyPages.com

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Caio Fernando Abreu


Confesso que ando muito cansado, sabe?
Mas um cansaço diferente. 
Um cansaço de não querer mais reclamar, 
de não querer pedir, 
de não fazer nada, 
de deixar as coisas acontecerem.

Esse Cara Sou Eu - Roberto Carlos

O cara que pensa em você toda hora
Que conta os segundos se você demora
Que está todo o tempo querendo te ver
Porque já não sabe ficar sem você
E no meio da noite te chama
Pra dizer que te ama
Esse cara sou eu
O cara que pega você pelo braço
Esbarra em quem for que interrompa seus passos
Está do seu lado pro que der e vier
O herói esperado por toda mulher
Por você ele encara o perigo
Seu melhor amigo
Esse cara sou eu
O cara que ama você do seu jeito
Que depois do amor você se deita em seu peito
Te acaricia os cabelos, te fala de amor
Te fala outras coisas, te causa calor
De manhã você acorda feliz
Num sorriso que diz
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Eu sou o cara certo pra você
Que te faz feliz e que te adora
Que enxuga seu pranto quando você chora
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
O cara que sempre te espera sorrindo
Que abre a porta do carro quando você vem vindo
Te beija na boca, te abraça feliz
Apaixonado te olha e te diz
Que sentiu sua falta e reclama
Ele te ama
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu
Esse cara sou eu

terça-feira, 30 de outubro de 2012

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Prêmio

Recebi a indicação ao prêmio de Nádia dos Santos, do blog:
Agradeço de coração.
Beijos pra você, linda.
*
Informações sobre o SELO/PRÊMIO
O Prêmio Dardos foi criado pelo escritor 
espanhol Alberto Zambade.
No ano de 2008 concedeu no seu blog 
Legendas de "EL Pequeño Dardo" 
o primeiro Prêmio Dardos a quinze blogs selecionados por ele. 
Ao divulgar o prêmio, Zambade solicitou aos blogs premiados 
que também indicassem outros blogs ou sites considerados merecedores do prêmio.
Assim a Premiação se espalhou pela Internet.
Cada ganhador do selo deve continuar a fazer premiação 
(se quiser, é claro) 
aos blogs que por ele considerar merecedor, 
seguindo as regras a pedido do criador do selo:
1. Exibir a imagem do selo em seu blog.
2. Linkar o blog pelo qual recebeu a indicação.
3. Escolher outros quinze blogs a quem 
entregar o prêmio dardos.
4. Avisar os escolhidos.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Você Não Sabe - Roberto Carlos

Você não sabe quanta coisa eu faria
Além do que já fiz
Você não sabe até onde eu chegaria
Pra te fazer feliz
Eu chegaria
Onde só chegam os pensamentos
Encontraria uma palavra que não existe
Pra te dizer nesse meu verso quase triste
Como é grande o meu amor
Você não sabe que os anseios do seu coração
São muito mais pra mim
Do que as razões que eu tenha
Pra dizer que não
E eu sempre digo sim
E ainda que a realidade me limite
A fantasia dos meus sonhos me permite
Que eu faça mais do que as loucuras
Que já fiz pra te fazer feliz
Você só sabe
Que eu te amo tanto
Mas na verdade
Meu amor não sabe o quanto
E se soubesse iria compreender
Razões que só quem ama assim pode entender
Você não sabe quanta coisa eu faria
Por um sorriso seu
Você não sabe
Até onde chegaria
Amor igual ao meu
Mas se preciso for
Eu faço muito mais
Mesmo que eu sofra
Ainda assim eu sou capaz
De muito mais
Do que as loucuras que já fiz
Pra te fazer feliz

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Many Pallo

Afogada nos meus silêncios
Flutuando pensamentos
Débeis da minha mente
Eu como meus dias
Em nevoas vagarosas
Com os olhos vazios
De boca pálida
Eu como os dias
Fora do trilho
Perdida num meio sonho
Dos desencontros meus.

Maria Gadú

Que dance a linda flor 
girando por aí
Sonhando com amor sem dor, 
amor de flor
Querendo a flor que é, 
no sonho a flor que vem
Ser duplamente flor, 
encanta 
colore 
e faz bem...

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Crônica Do Amor - Arnaldo Jabor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, 
caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. 
O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, 
por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, 
veste-se bem e é fã do Caetano. 
Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, 
ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, 
pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. 
Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, 
você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia 
e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, 
o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. 
Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, 
ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. 
Ele não emplaca uma semana nos empregos, 
está sempre duro, e é meio galinha. 
Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado 
e ainda assim você não consegue despachá-lo.
Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. 
Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. 
Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. 
Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, 
mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.
É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. 
Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. 
Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador 
e seu fettucine ao pesto é imbatível.
Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. 
Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. 
Quem dera o amor não fosse um sentimento, 
mas uma equação matemática: 
eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim. 
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. 
Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, 
bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! 
Pense nisso. 
Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. 
É a contingência maior de quem precisa.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Devolve, Moço - Ana Cañas

Existe aqui uma mulher
Uma bruxa, uma princesa, uma diva
Que beleza
Escolha o que quiser
Mas ande logo
Vá depressa
Nem se atreva a pensar muito
O meu universo ainda despreza
Quem não sabe o que quer
Meu coração eu pus no bolso
Mas apareceu um moço que tirou ele dali
Não, isso não é engraçado
Um coração assim roubado
Bate muito acelerado
Devolve, moço
Devolve, moço
O meu coração pro bolso

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Poema Persa

Da Tradição Tantra

Al-Hallaj

Renúncia - Filgueiras Lima

Eu não devia ter-te amado tanto... 
Agora - é tarde para te esquecer.
Mas quando um grande amor se enche de pranto,
olha: a renúncia é quase que um dever:
Renúncia é sacrifício e desencanto...
que me faz grande e que te faz sofrer.
Renuncio a este amor profundo e santo,
É o holocausto de um ser a um outro ser!
Foste o afeto maior da minha vida.
Vou deixar-te. 
É o destino. 
À alma dorida,
não mais os sonhos lindos voltarão.
Renúncia é sofrimento, 
angústia e treva.
É um coração que o seu altar eleva
por sobre as ruínas de outro coração...

Zíper - Eduardo Baqueiro

Não abra este zíper...
Amor, você quer me provocar?
Pois saiba que não precisa fazer nada,
Só Tua presença já é o suficiente
para deixar meu corpo vibrando por você!
Não abra mais este zíper, pare onde está...
Deixe minha boca encostar na tua calcinha
E, com o dente, eu acabo
o trabalho que você começou...
Ao mesmo tempo, quero sentir teu cheiro
Embriagar-me de você, ainda mais...
Minha língua, atrevida, fará o resto
Sentindo o gosto de seu líquido...
Num momento sublime,
quero ouvir teus gemidos
Minhas mãos percorrerem este corpo atrevido,
Que não se cansa de me provocar!
Não abra mais este zíper, minha pequena!
Deixe-me terminar o trabalho que
você começou...
Deixe minha língua caminhar por teu corpo
Descobrir novos caminhos, novas sensações...
Deixe-me olhar nos teus olhos
Enquanto permaneço dentro de você...
Quero ver tua cara de safada
Pedindo para não parar
Levar você para as nuvens
Fazê-la gozar até que este tesão
que sentes por mim acabe...
Pare com este zíper, menina safada!
Vem para meus braços e deixe-me
terminar o desejo que começou em você... 

Nossos Corpos - Marcial Salaverry

Nossos corpos em louco frenesi,
souberam desfrutar-se,
souberam como amar-se
com muito desejo,
sem sentir o menor pejo,
apenas desejando sensuais carícias,
prenhes de quentes malícias...
Nossos corpos marcaram-se,
e jamais se esquecerão...
Ficou a recordação,
e o desejo de uma repetição....
...E por quê não?

Teu Corpo - Marici Bross

 Teu corpo vadio
Gostoso como ele só
Um corpo que encaixa
E amolda às curvas do meu
Um corpo forte e viril
Corpo de Deus grego
Delícias, a mim,
Oferecem
Numa vadiagem gostosa.
É assim que te quero
É assim que gosto
Corpo de pura malícia
Corpo gostoso e só meu!
Ah! garoto safado
Vem que mais um momento
Vamos ter, seja vadiagem pura
Seja o amor safado
Seja o amor paixão
só nosso. 

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Teu Corpo - Faffi

            Não apareça assim na minha frente,
            Se cubra, se vista bem decente.
            Posso perder o senso de gente... 
como uma gata feroz
            sou capaz de te agarrar
            te morder, te apertar
            fazer de você meu gatinho
            e bem de mansinho
            teus pontos cardeais desfrutar...
            sem limites e sem preconceitos,
            teus mistérios um a um desvendar.

Contrações - Isabel Machado

Abre e fecha
flechas de desejos
flashes instantâneos
quando penso em ti...
Pulsa o pulso
pulsa a flor que arde
curtas contrações,
longos arrepios...
Abre e fecha,
sangue bombeando
vida latejando,
rega esse navio...
Pulsam bicos,
seios bolinados
duros, retesados
querendo implodir...
Flor-de-cheiro,
doce à lá pompom
molha tua boca,
sente quanto é bom...
Abre e fecha,
pulsa e repuxa
flor-da-contração
arde de tesão
abre minhas coxas
rompe tuas forças
seca minhas poças
e deglutes
todas as flores roxas
que um dia
desabrochaste...

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Possua-Me - Flávia Guimarães

Gosto - Mel

E que na tua boca 
fique sempre 
um gostinho de mel.
 Bem doce, 
bem melado, 
bem safado...
Esse gosto doce, 
louco,  
morno,
meu...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Vem - Vênus

Vem...
é assim que eu te espero,
me sugue gostoso,
lambuze o meu corpo,
sou sua,
me tome,
me faça gemer,
me faça mulher...
amada,
saciada,
safada,
sem vergonha,
Vem...

Luxúria Profana - Rozeli Mesquita e Nel Lyra

Como não te amar
Se tudo que sonho está em você
Como não te desejar
Se só você sabe onde me tocar
Me ame na sua realidade
Realidade que os sonhos alimentam
Me deseje em sua plenitude
Onde te toco e nasce teu tormento
Me purifica a alma o teu amor
Te desejo tanto, e o tanto é pouco
Estais em tudo, te sinto, te toco
Me quedo triste... 
Suspiro rouco!
Volte a sorrir por um momento
Meu amor é teu neste instante
Envolva-me no teu aconchego
Sinta meu cheiro embriagante
Põe no tato nosso gozo profundo
Se entrega à nossa luxúria profana
Me ama, feche a porta do mundo
Cede os sentidos à mão de quem te ama
No tato, na pele, no paladar
Com desejos insanos e luxúria profana
a mão de quem ama navega
o corpo coberto em chamas

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Caio Fernando Abreu

Quero domingos de manhã.  
Quero cama desarrumada, 
lençol, café e travesseiro. 
Quero seu beijo. 
Quero seu cheiro.
Quero aquele olhar que não cansa, 
o desejo que escorre pela boca 
e o minuto no segundo seguinte: 
nada é muito quando é demais.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Apenas Eu - L.P.V.

Sou vento 
que sopra sua face
Sou ventania 
que faz você sentir minha presença
Sou tempestade 
na sua calmaria 
Sou furacão 
que devasta o seu ser
Ou sou apenas um menino 
deitado no seu colo 
a espera de um toque de amor 
Ou sou apenas eu

quarta-feira, 3 de outubro de 2012