JellyPages.com

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Poema Do Sexo - Samara Deyse

Anoiteceu
Todos se foram
Somos só eu e você
Em um universo só nosso
Ao deitar sinto sua respiração na minha face
Minhas mãos passeiam por seu corpo
Sua boca aproximando da minha
Com desejo
Com amor
Com carinho
Com calor
Sem palavras
Apenas gestos
Nada mais é necessário
Quando dois corpos se juntam
É instinto
Um compreende o outro
Descobrindo o que se promove nos demais instantes
As mãos se entrelaçam
Bocas respirando uma na outra
Exalando o que sentem
Transpirando desejos
Respirando tesão
Sussurrando gemidos
Até chegar no topo
O que era vivo
Morre por instantes
A mais erótica e intensa sensação
De amor, de tesão
Querem uma a outra
Por algo que vicia
E minutos depois
O ritual se inicia

Livre De Pecado - Negra Bella

Será um pecado
acariciar meu próprio corpo
até me incendiar toda
esvaziar todos meus desejos
em um orgasmo quase perfeito?
Será um pecado
imaginar que são teus beijos
os que acalentam meus lábios
passam roçando meus seios
produzindo gemidos quase perfeitos?
Será um pecado
te desejar e deliciar tanto
querer correr a teus braços
dar rédeas a meus desejos
neste mundo quase perfeito?
Estou livre de pecado
desfrutando orgasmos quase perfeitos
até que morra esta distancia
que eu volte a me refletir em teu olhar
que acalmes para sempre meus desejos.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Sonho Real - L.P.V.

Seu corpo estava deitado sobre o lençol
Cheguei pertinho e dei um beijo no seu rosto
Você se virou e me puxou pra cima de você
Deitado em cima de você, começamos a nos beijar
Você falava no meu ouvido: vem amor...
E eu fui... entrelaçados começamos...
Eu penetrado em você
E você falando coisas gostosas no meu ouvido
Eu mal me mexia, estava todo dentro de você,
No meu ouvido você dizia bem baixinho:
Não mexe amor, quero sentir você assim sem se mexer
E continuava falando no meu ouvido...
Quando você disse: *agora mexe e goze pra mim*
Ahhh, foi lindo, uma sensação incrível
E por um tempo continuamos ali parados
Eu sentindo sua pele, sua voz, seu perfume...

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Em Pleno Vôo - Lu Rodrigues

Acordei e não era sonho, 
estavas ao meu lado na cama.
Que delícia poder acordá-lo com minha boca 
e ir sentindo aos poucos teu membro 
dar-me "bom dia" respondendo às minhas carícias. 
Adoro quando minha primeira refeição do dia é você! 
Teus gemidos são minha melodia preferida 
Teus testículos me apetecem até a alma, 
Teu falo me transcende a expectativa do gozo! 
Chupo-o e me contraio, aperto minhas coxas entre si, 
e enquanto te saboreio, gozo o prazer que lhe dou 
que café da manhã estupendo! 
Não há experiência melhor que esta, 
é como acordar em pleno vôo!

Provoque-Me - Chellot

Provoque-me.
Sacie minha sede.
Domina-me.
Joga-me em sua rede.
Desfaça os laços.
Solte os botões.
Envolva-me em seus braços.
Vibre meus tendões.
Beije meu cabelo.
Morda minha boca.
Deixe-me mordê-lo
E arrancar sua roupa.
Toque-me.
Sacie minha libido.
Beije-me.
Arranque meu vestido.
Desfaça os pudores.
Solte seus desejos.
Envolva-me em seus lábios tentadores.
Vibre com meus beijos.
Beije meu umbigo.
Morda meu pescoço.
Deite-se comigo.
E arranque o meu gosto.
Suga-me.
Sacie sua fome.
Preencha-me.
Grite o meu nome.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Tati Bernardi

Te quero. 
Te quero molhado, 
com o cabelo despenteado, 
com cara de sono, 
com sorriso malicioso, 
com olhar sincero. 
Te quero sorrindo, 
bravo, 
nervoso, 
emburrado, 
feliz, 
chateado,
triste. 
Te quero lindo, 
te quero feio,
 te quero desarrumado, 
te quero perfumado. 
Te quero na sala, 
no quarto, 
na rua, 
tanto faz. 
Te quero aqui, 
te quero acolá. 
Te quero para transformar eu e você em nós.

Há Dias... - Corpos e Almas

Há dias
em que tudo o que quero
é dizer-te que te amo
é sentir a tua boca,
a tua língua...
Há dias
em que tudo o que quero
é sentar-me no teu sexo
enquanto me enlaças...
é sentir o teu corpo,
as tuas mãos
que afagam os meus seios...
Há dias
em que és tudo o que eu quero

Feliz Natal...

Natal é amor em ação.
Toda vez que nós amamos,
toda vez que nós doamos,
é Natal.
Feliz Natal pra todos amigos e leitores.
Beijos,
Vênus.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Sufocado - Zezé Di Cargo e Luciano

Pra que fingir que sofre
Eu sei que não
No fundo você gosta de me tirar a paz
Se faz inocente
Mais tudo bem
te quero do meu lado
Porque eu sei
Não tem sentido
Viver sem teu amor
Sempre te levo
Comigo aonde eu vou
Sempre que eu respiro é por você
e te amar me faz sofrer
Baby hoje eu vivo sufocado
em minha dor
Sempre que eu tento te esquecer
fico louco pra te ver
Baby não consigo me livrar de tanto amor
Você me deixa triste
O que fazer
Se a solidão insiste
Em me fazer lembrar
Não preciso de mais nada
De mais ninguém
Se você está comigo
Tá tudo bem
Não tem sentido
Viver sem teu amor
Sempre te levo
Comigo aonde eu vou
Sempre que eu respiro é por você
e te amar me faz sofrer
Baby hoje eu vivo sufocado
em minha dor
Sempre que eu tento te esquecer
fico louco pra te ver
Baby não consigo me livrar de tanto amor
Isso não é certo
mais te aceito assim porque
estou num deserto sem saber pra onde ir
Eu só quero é ser feliz
Sempre que eu respiro é por você
e te amar me faz sofrer
Baby hoje eu vivo sufocado
em minha dor
Sempre que eu tento te esquecer
fico louco pra te ver
Baby não consigo me livrar de tanto amor
Baby hoje eu vivo sufocado em minha dor
Te esquecer
O seu amor
Baby não consigo esquecer o seu amor
Sempre que eu respiro é por você
e te amar me faz sofrer
Baby hoje eu vivo sufocado
em minha dor
Sempre que eu tento te esquecer
fico louco pra te ver
Baby não consigo me livrar de tanto amor

A Devassa E Eu - Radyja Lima

Ela sobe insinuante pelo meu corpo
faz eriçar a pele
rebolar todo o corpo
e viajar o pensamento
é uma devassa que me habita
ela sabe que a sufoco
mas tem rasgado caminho pros meus atos
tem flertado com meu dia a dia
tem feito brilhar meus olhos
faz meus dedos encontrarem outra pele
num ínfimo segundo do pensamento
e já não tenho mais posse de mim
sou presa dessa delícia de tesão
essa vida que vibra em meu corpo
que faz meu latejar encontrar um pulsar
e essa devassa vira bicho solto
e daqui de onde a vejo
só faço perder a respiração
e sentir o frio na espinha
mas quando ela estremece
não a separo de mim
vivemos o prazer juntas

Bandida - Ângel Magalhães

Indecente no limite 
de te roubar o prazer 
liberta meus sentidos 
onde no teu amor se procuram
transbordante jardim de fugas 
repleto de toques,
beijos e paixão
secreto murmurar
de nossas bocas que se consomem
na paisagem em escuridão.
delírios em batalhas 
de nossos corpos indecentes
traduzidas em confissão.
Bandida afogada em teu aroma 
doce essência incontrolável 
delitos, sequestro de teu beijar 
epiderme que te chama em desespero
colheita de gozos 
apaixonados 
rasgados 
anseios frenéticos 
loucura em fúrias
desejos a orquestrar 
meu corpo declara 
sou imigrante 
de teu
Amar.

Tão Eu - Cau Lanza

E me faço
Num instante
Num arrepio
Que corre
No corpo
Ensopado de tesão
E me desfaço
Em líquidos plenos
De pura excitação
E em minha pele
Brinco
Caminho
Dedos eufóricos
Pura emoção
Satisfaço
A raiva
A pureza
A fissura
Linda tentação
Que me pega
Que em mim peca
No meio
Pelo meio
Deliciosa sensação
E me tenho inteira
Quando aqui
Minha metade
Se encontra na tua
Flutua
E me deixa tonta
E gozo
Um tanto doçura
Um tanto mais
Pura gostosura
Sem ti
Sozinha
Eu sei
Um tanto mais
E é mais
E mais loucura...

Despedida - Cau Lanza

Talvez
Quem sabe
O mundo se acabe
Talvez
Quem pode saber
Quem poderá dizer
Real ou virtual
No falado
Na calada
No silêncio de um poema
Sem forma
Sem tema
Na ida
Sem despedida
Na covardia
Da noite e do dia
Na preguiça
Tal e qual
Prazer
Que derrete
Paixão
Uma ou tantas
E tu
Te despes
E tu
Repetes
Os mesmos erros
E tu
Te perdes
Na falsa sabedoria
Na falsa magia
Do gozo
Abundante
Que nas horas
Flutuantes
Tens
Aprecias
E tu
Tu brincas
E sempre
No caminho
À beira de um
Ou tantos ninhos
Rabiscas
Com outra caligrafia
Identidade fria
Mas... tu
Tu esqueces
À francesa
Partes
Vai embora
Não importa a hora
Se noite
Se dia
Sai e vai
Facilidade
De quem quer ser
Quer ter
Mas não pode
Porque tu
Tu
Simplesmente
Não és...

Jogos Sem Conceitos - Cau Lanza

Lambe
Sambe
Meu corpo
Promete
Espera
Aguenta
Venha
Experimenta
Joga 
Brinca
Tenta
Seduza
Abusa-me
Lambuza
Orienta-me
Faz-me
Louca
Pouca
Doida 
Muita
Traduza-me
Cola
Tua pele na minha
Tua carne
Teu sexo
No meu sexo
Transgrida
Infrinja
Leis
Conceitos
Regras
Baste-se
Junte-me
Embole-se
No jogo de pernas
Quadris
Braços
Bocas e línguas
Deixe correr
Deixe rolar
Vamos
Agora e sempre
Amar e gozar...

Sem Saída - Marie Chantal

Comerei com olhos e boca
tua fruta doce e suculenta.
E assim te esperarei com unhas, mãos e fogo.
Devorarei teu doce pecado,
tua delícia inteira...
com afagos, beijos sedentos
e pegadas diversas.
Contarei em teu corpo tuas estrelas,
preencherei teus espaços vazios,
ofertando-te minha arte de amor.
Roubarei teu tempo,
teu fôlego, teus ais...
Falarei aos teus ouvidos
que serão só meus os teus gemidos.
Apossar-me-ei de teu corpo,
cobrindo-o de carícias
e de tantas outras delícias.
Fugirei das horas
e te cobrirei de olhares
e de milhares de beijos.
Curvar-me-ei aos teus delírios,
aos teus encantos quando me olhares assim.
Assumirei que sou tua flor,
tua rosa, teu amor.
Tua dona mais amada,
teu doce mais saboroso.
Cercarei de beijos e flores o teu quarto
e te oferecerei a minha arte de amar,
meu tempo e minha vida.
Já conheço o teu olhar,
a tua boca a me devorar
parte por parte.
Tua língua a tocar-me sem medo...
tua vontade feroz, animal
a me cercar sem saída.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Allen Ginsberg

Loucura A Dois - Vênus

Nós, 
numa festa...
Vestidos à rigor.
Você à mesa,
ao meu lado...
Mão pousada em minha coxa,
olhares se cruzam,
safados.
Seus dedos 
pressionando minha carne.
Sorrio, dizendo: Sobe... Entra.
Dedos obedientes...
Tamanha urgência, eu gozo...
Sorvendo o vinho.

Pedro Chagas Freitas

Luís Fernando Veríssimo

Por Amor - Carolina Salcides

E ele me segura
E me cura
De qualquer medo
De qualquer loucura...
E eu me jogo, assim
Nem olho, não penso no fim.
Eu sinto uma coragem infinita
E o que me guia: é o que faz sentido
e o que vibra forte em mim...
O amor nos dá um poder de não desistir
E eu, sigo...
Porque enquanto houver amor, os sonhos existirão
Enquanto houver sonhos, os pés seguirão
E junto com eles, as asas, o desejo, a alegria
e a minha imaginação.
E ela me diz muitas bobagens
E me faz querer coisas que não existem
E eu, sigo... 
Eu escrevo nas minhas estrelas
Eu busco pérolas no fundo do mar
Eu te desejo sorte no teu destino
E nos desatinos...
Há que se entregar, para valer a pena.
Há que se confiar, para acontecer
Compartilhar para ser feliz.
Amar como se é, para ser amor.
(Não há nada que valha a pena ser conquistado
sem ter alguém do seu lado.
Isso é o mais importante
O resto, é volátil.)
E eu?
Eu sigo...

Ana E O Mar - O Teatro Mágico

Veio de manhã molhar os pés na primeira onda
Abriu os braços devagar e se entregou ao vento
O sol veio avisar que de noite ele seria a lua
Pra poder iluminar Ana, o céu e o mar
Sol e vento, dia de casamento
Vento e sol, luz apagada no farol
Sol e chuva, casamento de viúva
Chuva e sol, casamento de espanhol
Ana aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo
Deitada diante do mar
Que apaixonado entregava as conchas mais belas
Tesouros de barcos e velas
Que o tempo não deixou voltar
Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar
Ana e o mar... mar e Ana
Histórias que nos contam na cama
Antes da gente dormir
Ana e o mar... mar e Ana
Todo sopro que apaga uma chama
Reacende o que for pra ficar
Quando Ana entra n'água
O sorriso do mar drugada se estende pro resto do mundo
Abençoando ondas cada vez mais altas
Barcos com suas rotas e as conchas que vem avisar
Desse novo amor... Ana e o mar
Ana e o mar... mar e Ana
Histórias que nos contam na cama
Antes da gente dormir
Ana e o mar... mar e Ana
Todo sopro que apaga uma chama
Reacende o que for pra ficar