JellyPages.com

domingo, 15 de março de 2015

domingo, 8 de março de 2015

Victor Hugo

O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter cérebro.
Sonhar é ter na fronte uma auréola.
O homem é um oceano.
A mulher é um lago.
O oceano tem a pérola que embeleza. 
O lago tem a poesia que deslumbra. 
O homem é a águia que voa.
A mulher, o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço. 
Cantar é conquistar a alma.
O homem tem um farol: a consciência. 
A mulher tem uma estrela: a esperança. 
O farol guia. 
A esperança salva. 
Enfim, o homem está colocado onde termina a terra. 
A mulher, onde começa o céu!!!
*
Feliz Dia Internacional Da Mulher.

quarta-feira, 4 de março de 2015

A Dor É Inevitável... - Elisa Grec

A dor é inevitável
Você não me deseja?
Então se dobre a meus caprichos
Ou não terá nada, nada
Que venha de mim
Tem livre escolha
Prefere viver, sua fétida existência
Sendo sempre a mesma pessoa
Vivendo para o trabalho
Ou quer prazer de vez em quando
Venha, renda-se a meus caprichos
Depois da dor
Sempre um orgasmo inesquecível
Um prazer insuportável
E depois, de volta à dor inevitável!

Tu E Eu - Camila Sintra

Eu entro
entro 
entro
entro dentro
dentro
dentro
dentro de ti
de ti
ti ti ti ti ti
tiro
ponho
tiro ponho, ponho, ponho
ponho tudo
tudo, tudo, tudo,
em toda tu,
boca, boceta e cu,
olhos, nariz e alma,
coração, veias e vida
vida, minha vida,
não sei mais quem sou
nem quem és,
pois sou tu e sou eu
eu e tu
tu e eu

Canto De Nudez - Paulo Mont'Alverne

Dá-me tua nudez,
Tua nudez úmida
Outorgada em pêlos e dobras,
Nas dobras desfeitas
De dez e mil lençóis
Dá-me tua nudez,
Tua nudez traçada,
Declarada em gotas e curvas,
Nas vidas desfeitas
Por uma ou tantas canções.
Dá-me tua nudez,
Tua nudez rasgada,
Marcada em veias e carnes,
Nos pactos esquecidos
De todas e outras juras.
Dá-me tua nudez,
Tua nudez faminta,
Destrancada de almas e corpos,
Nos sonhos destruídos
De meus e teus desejos. 

Eros - Douglas Mondo

Sou preferido filho de Vênus
sinta minha libido molhada
que procura sua fenda imaculada
e inocula prazer feito veneno
Sou língua, enorme ou lingüeta
sou falus, penetro e me calo
no calor da sua rósea buceta
sou macho, falo com meu talo
Ouça trovões do poeta guerreiro
provoco a ira ou o desejo com ardor
sou um deus fruto da deusa do amor
Beba, sou deleite jorrando e engula
mate a sede, sou corpo na sua gula
quero, profano e arrombo, sou Eros

Primícia E Pecado - Reinaldo Lira

Rosto colado, 
beijo selado. 
Braços dados,
corpos entrelaçados.
Sentimento guardado,
poema declamado.
Fogo ateado,
corpos queimados! 
Desejos saciados, 
lençóis molhados. 
Primícia e pecado, 
à eternidade fardados...

Homenagem - Paulo Mont'Alverne

Ah, o pecado!
Viva o pecado
Que esconde em si
A mais casta virtude.
Pequemos todos, então,
Pois a alternativa
É sermos todos pequenos e vãos.
Deixemos correr
Mãos sobre nádegas
E olhares incestuosos
Sobre nossas próprias amantes.
Degolemos padres e pastores
(que também pecam, só que pecam escondidos)
Pelo horror de terem inventado
As velhas beatas 
que nunca souberam pecar.
E pequemos sem culpa
Porque culpa e pecado
Não sabem dançar um maxixe,
Só valsas vienenses.
Quando muito!
O pecado é belo,
Fulgurante e molhado;
Feito para ser deliciado
Como outra língua em nossa boca.
Fiquemos apenas com a angústia
Do pecado mal feito
Ou do jamais cumprido.
Pequemos o aqui e no agora
O pecado doce
Da quase-castidade abandonada.
Sem o pecado
Não acredito na sinceridade de Deus.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Sano Pecado - Adina Bezerra

Bebi da tua fonte 
Cometi pecados sadios 
E as brasas do desejo 
Aqueceram os diabos de mim 
Saciei a minha sede 
Ao provar do teu mel 
Viva, ao meu sano pecado 
Rezam os santos de mim. 
Beijei a tua boca 
Fui arrebatada até o céu 
Que nunca seja absurdo 
Toda a profanação de mim.

domingo, 1 de março de 2015

Eva - A.D.

Eva...
sois a virgem do paraíso,
rejeitada por Adão!
Dormes o sonho
de ser a mãe
de uma multidão
que rompe
seu ventre maduro
como uma fruta
a libertar-se
de sua árvore mãe...
Quantos são
os filhos dos teus seios?
Quantos são
os teus desejosos homens
que deitar-se contigo
devaneiam-se
nas noites negras,
turvas de tormentos?
Não podes,
amar tantos amantes,
pois, sois a mãe
de todos os pervertidos
homens que as tuas filhas
desnudaram
como lobos vorazes
atraiçoados pela alcova...
Dorme agora Eva,
pois, sois a costela
de vosso Adão
e somente a ele
pertence seu corpo embriagado!

Que Animal É Esse... - Arcanjo do Inferno

Que vem em minha direção 
Com seu brilho intenso e encantador 
E com seu corpo cilíndrico e alongado 
Com seu rebolar rastejante e sensual 
Com seu corpo macio 
Coberto de escamas córneas 
Que brilham como cristal 
Que animal é esse... 
Que encanta com seu olhar 
De fenda vertical 
Com seu sorriso intimidador 
Não sei como vou te chamar 
Cascavel, 
Jararaca, 
Sucuri. 
Coral, 
Naja. 
Sei lá! 
Que animal é esse... 
Que me enfeitiçou com sua picada 
Com seu veneno doce e enganador 
Mesmo que eu me esconda 
Você me acha 
Com ajuda de sua fosseta loreal. 
Maravilha rastejante 
Que quero tê-la sempre ao meu lado 
Protegendo-me, guiando-me 
Que ao teu lado 
Vivo contente 
Declino-me sobre teu corpo 
Minha amada
Serpente

Lilith - Fábio de Oliveira

Onipotente criação
Semente do barro
aos olhos da escuridão
A mulher do primogênito
Perfeita formosura
mas um coração intrigante
Sedenta pela igualdade
trancafiada em divina ordem
Sol poente
Revolta e rancor
Blasfêmia, ódio e abandono
O manto da noite
Ao horizonte, o oceano vermelho
Profano território
Verdadeiro lar, enfim
Um ser das trevas, ela se proclamou
Noiva de Samael
Genitora da legião
Pelos anjos, foi alertada
Irredutível furiosa
Guerra ao pai
Vingança aos homens
infantes e írritos
Sombrio destino
Invasora dos sonhos
Abrasante cópula
Exaustiva destruição
pela voraz pecadora
Ela, Mãe das trevas
Rainha da noite
Força destrutiva
Avassalador instinto
Em sua palavra, oposição
Em suas mãos, sangue
Em seu corpo, fogo
Em seus atos, Morte
Em seu nome, Lilith
*
Nota: A primeira feminista, Lilith (ou Lilitu),
foi a primeira esposa de Adão, anterior à Eva,
expulsa do paraíso por querer uma relação
de igualdade em tempos patriarcais.
Pode ter sido irmã siamesa do primeiro homem 
(unidos pelas costas);
ou lado feminino de um Adão andrógino;
ou simplesmente criada da imundície, 
no sexto dia da criação.