JellyPages.com

domingo, 20 de novembro de 2016

Geslanne Souza

Em meio a tantas dores,
lágrimas, saudades,
sorrisos
e um imenso
e desmedido amor,
estou me sentindo mais que metade.
Aprendendo a me sentir inteira.
Aprendendo.
Processo lento.
Difícil.
Mas estou tentando.
Persistir.
Insistir.
Talvez o tempo não esteja a meu favor.
Talvez ele acabe antes
que eu entenda a razão
e o porque de tudo.
Talvez.
Mas o hoje existe,
e eu aqui estou
caindo,
levantando,
me arrastando,
mas estou.
Vivendo no singular
e rejeitando instintivamente
toda forma de plural.
Não.
Não digo que me basto.
Nem quero ser ou me sentir assim.
Me tornei indiferente a muitas coisas,
isso não nego.
Demonstrar minha sensibilidade
já me deixou muitas cicatrizes
e a maioria delas ainda doem,
muito.
Isenção de afetos?
Impossível.
Continuo sendo amor da cabeça
a ponta dos pés.
Minha depressão incontrolável
agora tem minutos de suavidade.
Continuo menina,
continuo mulher.
As duas andam de mãos dadas
em suas ansiedades e exageros.
Continuo deixando
pétalas de flores no caminho.
Continuo encontrando flores
onde a maioria só vê arame farpado.
continuo amando.
Porque nasci beija-flor.

10 comentários:

  1. Lindo demais.... há a música do 14 Bis.... "há um menino, há um moleque brincando sempre no meu coração.. toda vez que o adulto balança, ele vem para me dar a mão..!"
    Belo poema.... que as tuas duas metades (menina-mulher) nunca se separem!!!
    Beijos desse que muito te estima!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa musica é linda...
      Eu tento, ser meio menina, meio mulher... mas o lado mulher prevalece.
      Beijos

      Excluir
  2. tão profundo e suave ao mesmo tempo...
    lindo poema

    ResponderExcluir
  3. com certeza, é vc todinha...

    sempre...L.P.V ;)

    ResponderExcluir
  4. Lindo.
    Às vezes na dor é que descobrimos a nossa força. Amando a si mesmo, é possível superar tudo.
    Não perca nunca tua essência.
    A sua volta encontrará alguém para somar sorrisos, bons momentos e quem sabe uma amor para a vida toda.
    Beijos com carinho

    ResponderExcluir